Sábado, 24 de Junho de 2017
Últimas

1ª edição da Semana do Microcrédito destaca casos de sucesso de Viana do Castelo

 microcredito (1)

Esta quarta-feira, assinalou-se em Viana do Castelo um dos pontos altos da 1ª edição da Semana do Microcrédito, com a apresentação de casos de sucesso “made in Viana” e no Norte do país. Num evento que aconteceu no auditório do Crédito Agrícola do Noroeste, o fórum “Microempreendedorismo e Território – desafios aos parceiros do Alto Minho” reuniu empresários que quiseram partilhar a sua experiência, numa iniciativa promovida pela Associação Nacional do Direito ao Crédito (ANDC), com o apoio da instituição bancária e da Câmara Municipal de Viana do Castelo.

Correia da Silva, presidente do Conselho de Administração Executivo  do Crédito Agrícola do Noroeste, revelou à Geice que esta parceria tripartida pretende “promover a ideia” dos empresários locais, para que surjam “mais propostas” que, “com um baixo valor”, podem “promover o emprego”. “Nós gostaríamos que as pessoas soubessem que existe esta parceria, que está disponível para ajudar na criação de emprego”, revelou o responsável, revelando que, entre as diferentes linhas de crédito existentes, já investiram “mais de 2 milhões de euros em financiamento”. “Há muita gente que arranja emprego desta forma e nós temos essa disponibilidade financeira para ajudar”, assumiu.

Um dos exemplos de sucesso é a loja “Vai e Vem”, situada em pleno centro histórico da cidade de Viana do Castelo. O casal Paulo Martinez e Paula Pequeno decidiu criar, há quase dois anos e meio, uma loja de roupa para criança em segunda mão.

Assumiram que a ideia já tinha alguns anos, mas que ficou “em stand by” até à altura em que os dois se viram sem emprego. Foi através desta parceria entre a ANDC, Crédito Agrícola do Noroeste e Câmara de Viana que conseguiram o crédito que lhes permitiu o lançamento do negócio, investindo numa loja “organizada, bonita, com roupa boa e bem apresentada”.

“Pelos nossos dois filhos, vemos que existe muita roupa e muitos artigos que praticamente não são usados, que não chegam a desgastar-se, e que é um desperdício não voltarem a ser utilizados”, revelou Paula Pequeno. Em Viana, não havia nenhum negócio deste género”, assegurou a responsável, explicando que “o negócio tem corrido bem, apesar de as pessoas ainda não nos procurarem tanto quanto desejaríamos”.

microcredito

Sónia Silva Sá

Na Rádio Geice FM desde Outubro de 2010. Jornalista e animadora de rádio.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios *

*