FECHAR
Logo
admin 25 Abr 2010

Viana: Mais de 1200 dadores para ajudar menina de seis anos que luta pela vida

  Em pouco mais de cinco horas a pequena Soraia, de seis anos, viu 1200 pessoas a querem ajudar. Este era o limite em termos […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

 
Em pouco mais de cinco horas a pequena Soraia, de seis anos, viu 1200 pessoas a querem ajudar. Este era o limite em termos de logistica, mas face ao volume de interessados, a organização conseguiu estender a recolha a mais algumas dezenas de dadores. E mais condições de recolha houvessem, mais gente ajudaria à procura de um dador de medula óssea compatível. Sem sair do hospital há três meses, Soraia ganhou domingo mais de um milhar de amigos, enquanto luta pela vida. “Vimos meia dúzia. Somos motards e vir aqui ajudar não custa nada. Foi uma picada de mosquito”, apontou António José, um dos que respondeu à chamada da família de Soraia. A recolha esteve a cargo do Centro de Histocompatibilidade do Norte, que em Barroselas, Viana do Castelo, terra natal de Soraia, montou uma das poucas operações anuais em que num dia consegue recolher mais de mil amostras de sangue de novos dadores. A operação começou ás 10.00 e ao final da manhã já eram centenas os  ingressos preenchidos para a inscrição. A recolha, tendo em conta as limitações logísticas da operação, que envolveu cerca de uma dezena de técnicos, também pouco mais deveria durar. Prevista até ás 16.00, continuou depois até ás 20.00. Geice TV: Veja aqui a reportagem
 

 

A gigantesca mobilização popular sensibilizou a família. “Esperava muita gente, porque somos um povo solidário. Mas foi uma surpresa a forma como isto encheu”, confessou o tio da Soraia, responsável pela organização desta que foi a primeira campanha de recolha. “A primeira de muitas, se for preciso”, garante Carlos Felgueiras. Aos seis anos Soraia luta, literalmente, pela vida, estando há três meses isolada num quarto do Hospital Maria Pia, no Porto, praticamente afastada de qualquer contacto, à excepção da mãe. Tudo devido à hipoplasia medular de que sofre e para qual necessita, inevitavelmente, de um transplante de medula. Apesar dos testes feitos aos pais e irmã mais velha e da procura no banco mundial de dadores, que conta com 14 milhões de entradas, ainda não foi possível encontrar um compatível. “Sabemos que há uma probabilidade maior de encontrar um dador na zona de onde a família é natural, por laços de sangue, e por isso fizemos esta primeira campanha aqui, mas não vamos parar enquanto a Soraia precisar”, apontou Carlos Felgueiras. Todos estes mais de 1200 dadores servirão para engrossar o banco mundial, mesmo que não sirvam para a pequena Soraia. Esta acção de ontem envolveu também a tentativa para encontrar um dador para Sílvia Trigueiro, de 36 anos, natural de Ponte de Lima, também a necessitar de um transplante de medula. Embora sem se juntar à recolha, o vice-presidente da Câmara de Viana, Vítor Lemos, fez questão de marcar presença na iniciativa. Só não contribuiu para a recolha devido à idade. “Já tenho mais de 45 anos, mas se pudesse não hesitava. Esta enchente é a prova de que somos um povo solidário”, afirmou ainda o autarca.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts