FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 25 Abr 2010

Urgências: Luta dos utentes de Valença vira associação

A reabertura do serviço de atendimento permanente (SAP) e o seu funcionamento 24 horas por dia é o principal objetivo da Comissão de Utentes do […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A reabertura do serviço de atendimento permanente (SAP) e o seu funcionamento 24 horas por dia é o principal objetivo da Comissão de Utentes do Centro de Saúde de Valença, este domingo formalmente constituída, anunciou o presidente eleito. Segundo Carlos Natal, a comissão lutará ainda por “correções do funcionamento do Centro de Saúde, aos mais variadíssimos níveis”.  “Há coisas que não estão a funcionar bem”, afirmou.

 
Até janeiro, o SAP de Valença funcionava 24 horas por dia, a partir daí começou a funcionar apenas no período noturno e em finais de março fechou definitivamente, sendo substituído por uma consulta aberta, que funciona das 08:00 às 24:00. Esta decisão já motivou várias manifestações de protesto por parte dos utentes, até aqui unidos numa comissão “ad hoc”, que teve sempre Carlos Natal como líder.”O que me move é, apenas e só, poder contribuir para a reabertura do SAP e para o melhor funcionamento do Centro de Saúde”, referiu, à Lusa, Carlos Natal, refutando “terminantemente” qualquer luta ou procura por protagonismo e criticando o “afastamento” da Câmara das manifestações pela reabertura daquele serviço. “As populações têm vindo a estranhar o facto de a Câmara não estar presente nas manifestações. Há um afastamento. Haverá razões, seguramente, mas o que é facto é que a população está a sentir isso”, referiu. A Câmara de Valença é de maioria PSD e Carlos Natal foi eleito deputado à Assembleia Municipal nas listas deste mesmo partido. Depois das últimas Autárquicas, Carlos Natal filiou-se no PSD e já admite ser candidato à Câmara de Valença, pelo seu partido, nas próximas eleições, por considerar que “há algumas coisas que não estão a correr bem”, relacionadas, nomeadamente, com “a postura que as pessoas deveriam ter e não estão a ter”. Não quis, no entanto, especificar quais são as coisas e quem são as pessoas a que se refere. Admitiu apenas que as suas relações com o presidente da Câmara, Jorge Mendes, “se esfriaram”, por o autarca ter “sistematicamente dito que não concorda com algumas iniciativas tomadas. “Está nos meus horizontes poder vir a candidatar-me [à Câmara], depende do que acontecer durante estes três anos [que faltam até às próximas Autárquicas]”, reiterou Carlos Natal.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts