FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 23 Abr 2010

Valença: Líder da Comissão de Utentes quer ser presidente da Câmara mas partido recusa

Após um mês de contestação na rua ao Ministério da Saúde, o homem que liderou os protestos contra o encerramento das urgências de Valença reconheceu […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Após um mês de contestação na rua ao Ministério da Saúde, o homem que liderou os protestos contra o encerramento das urgências de Valença reconheceu que tem como objectivo candidatar-se à Câmara, pelo PSD, mas o presidente da concelhia do partido mostrou-se “surpreendido” com o anúncio e desde já garante o “total apoio” ao actual presidente. “Totalmente surpreendido com esta posição, mas é um militante e tem o direito de querer ser candidato. Agora vai ter é de reunir os apoios suficientes para isso”, afirmou à Geice José Temporão, presidente da concelhia e vereador no executivo da Câmara de Valença, conquistada pelo PSD ao PS nas últimas autárquicas.
 

 

 
“O apoio dos órgãos do partido é ao actual Executivo e ao presidente Jorge Mendes. Está fora de hipótese qualquer apoio nosso a uma eventual candidatura de Carlos Natal, que até é um militante recente da nossa concelhia”, acrescentou o líder local do PSD. Certo é que Carlos Natal admite que a candidatura à Câmara de Valença está nos seus planos, admitindo que procura sempre o papel principal, por mais ruturas que isso implique. “Equaciono fortemente candidatar-me à Câmara de Valença, pelo meu partido, o PSD, porque considero que o actual Executivo [do mesmo partido]não está à altura do cargo”, afirmou. Carlos Natal tem estado, nos últimos tempos, nas luzes da ribalta, pela liderança do movimento de contestação ao fecho das Urgências de Valença. Já promoveu marchas lentas que chegaram a cortar o trânsito na ponte internacional que liga Valença a Tui, já incentivou a colocação de bandeiras espanholas nas casas e estabelecimentos comerciais daquela cidade do Alto Minho, já chegou mesmo a tentar a instalação de um hospital de campanha para substituir as Urgências. Natal reconhece que esta liderança lhe dá popularidade e protagonismo e “pode ser importante” para o sucesso da candidatura autárquica. “Até aqui, poucas pessoas me conheceriam, mas agora já sou conhecido em todo o concelho e, até, no país inteiro”, referiu. Carlos Natal nasceu em Portimão, tem 41 anos e vive há 14 em Valença, de onde é natural a sua mulher e onde gere um restaurante. Segundo José Temporão, líder da concelhia, este anúncio “é extemporâneo” e “surpreendente”, mas o assunto acabará inevitavelmente por ser discutido em plenário de militantes em Valença no próximo mês.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts