FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 29 Abr 2010

Viana do Castelo: Obra do Coliseu volta a parar

O Coliseu de Viana, que está a nascer junto ao Rio Lima, parece estar definitivamente amaldiçoado. As obras começaram em 2008, mas pouco tempo depois […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Coliseu de Viana, que está a nascer junto ao Rio Lima, parece estar definitivamente amaldiçoado. As obras começaram em 2008, mas pouco tempo depois foram interrompidas por ordem do Tribunal, depois de uma das empresas derrotadas ter recorrido do resultado do concurso público. Agora a obra voltou a parar, devido ao início do processo de insolvência de uma das empresas que integravam o consórcio vencedor do concurso, a Alberto Mesquita & Filhos, S.A. Refira-se que a outra empresa que compõe este consórcio é a Painhas S.A., empresa detentora da concessão de grande parte dos parques de estacionamento subterrâneos de Viana do Castelo.

 
O presidente da Câmara Municipal de Viana, José Maria Costa, escusa-se por agora a comentar o assunto, visto que ainda “não tem conhecimento formal da situação”, aguardando a realização, em breve, de uma reunião com a empresa para avaliar a situação. Só na sequência desse encontro é que se ficará a saber se a obra do Coliseu vai voltar ou não a sofrer nova derrapagem. O Coliseu, da autoria do Arquitecto Souto Moura, implica um investimento de 11,2 milhões de euros. O novo equipamento, caracterizado pela transparência entre a cidade, o rio e o interior do edifício, estará preparado para acolher eventos de grande dimensão como festivais de música, concertos, cinema, congressos, exposições e feiras. A capacidade do multiusos é de cerca de duas mil pessoas, podendo o número aumentar para o dobro nos casos de concertos musicais.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts