FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 08 Mai 2010

Passos Coelho sauda, em Viana, Governo PS

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, saudou hoje, em Viana do Castelo, o Governo pelo adiamento da construção do novo aeroporto e da terceira […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, saudou hoje, em Viana do Castelo, o Governo pelo adiamento da construção do novo aeroporto e da terceira travessia do Tejo, mas lamentou o avanço do comboio de alta velocidade (TGV).  “Considero importante que o Governo tenha anunciado o adiamento da terceira travessia do Tejo e do novo aeroporto, mas tenho pena que o mesmo Governo não perceba a necessidade de adiar também o contrato do TGV que hoje vai assinar. É uma questão de bom senso”, disse Pedro Passos Coelho, na sua primeira visita enquanto lider do PSD ao distrito de Viana.
 

 
 
Para o líder social-democrata, a não suspensão do TGV “é símbolo de uma certa teimosia e de alheamento da responsabilidade política”. “Era muito importante o Governo renegociar alguns contratos que já fechou”, defendeu. O primeiro-ministro, José Sócrates, admitiu quinta-feira, em Bruxelas, adiar grandes investimentos públicos como o novo aeroporto e a terceira travessia do Tejo para reduzir o défice este ano para 7,3 por cento. Disse ainda que tenciona ter “um diálogo sereno” com Passos Coelho, enquanto líder do “único partido” da oposição que aprovou o Plano de Estabilidade e Crescimento, para discutir as “novas medidas”, para conseguir alcançar a nova meta de 7,3 por cento. Hoje, o líder do PSD referiu quer o partido “está aberto a cooperar com o Governo”, com uma única condição: “haver realismo político”. “Não se pode ao mesmo tempo estar a pedir mais sacrifícios e dar o exemplo errado que uma grande infraestrutura que não é prioritária nos dias de hoje avançará em qualquer circunstância”, referiu. Pedro Passos Coelho disse ainda que vai ficar a aguardar pelas propostas do Governo para a redução do défice, para depois se pronunciar. “À partida, não excluímos nenhuma medida em particular”, disse.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts