FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 13 Mai 2010

Recta de Anha: Prostituição na berma da estrada regressa em força – GNR

A prostituição na berma da estrada está de regresso, em força, a Viana do Castelo, e nos últimos meses têm aumentado o número de mulheres […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A prostituição na berma da estrada está de regresso, em força, a Viana do Castelo, e nos últimos meses têm aumentado o número de mulheres que circulam pela antiga Estrada Nacional 13-3, recuperando assim uma antiga prática que deu nome à zona como “Recta de Anha”. “De facto, no último ano, temos registado um aumento significativo destas práticas. A Guarda vai lá, faz umas operações, mas como há clientes elas voltam a aparecer pouco depois”, explicou à Geice fonte da GNR de Viana do Castelo. Mesmo com operações semanais, garante aquela força, esta prática de prostituição na “beira da estrada” está a aumentar na via que liga a cidade de Viana do Castelo a freguesias como Vila Nova de Anha, Chafé e Castelo de Neiva, onde se situam algumas das principais praias do concelho.

Diariamente, chegam a ser ás dezenas as mulheres que, em trajes explícitos, se passeiam por aquela via, ladeada por arbustos, a grande maioria cidadãs brasileiras.  “Já não sabemos o que devemos fazer. Além da imagem que cria da nossa freguesia, leva outras pessoas a afastarem-se de uma zona tão atractiva para os turistas”, apontou à Geice FM Rui Matos, presidente da Junta de Anha. “De dia para dia aumenta a prostituição no local e tudo o que temos feito está a revelar-se infrutífero”, diz ainda. Por outro lado, a GNR diz que “já as tem identificado e até tem havido algumas detenções, mas a maioria estão legais no nosso País”. “Como tal, não passam de pessoas a passearem-se pela estrada e pouco podemos fazer nesse sentido, além de punir alguma eventual prática de exibicionismo”, disse ainda a mesma fonte. No entanto, a GNR suspeita da forma como este aumento de prostituição do género está a ser feita na zona e associa ao encerramento compulsivo de casas de alterne na região. “Estamos a investigar se há alguma actividade criminosa nestes casos, se há alguém a projectar para a estrada estas mulheres. Isso seria lenocínio”, explicou ainda a mesma fonte.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts