FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 26 Mai 2010

Turismo: Viana do Castelo é a única cidade a representar-se na Xangai2010

O município de Viana do Castelo será o único, a título individual, convidado a fazer-se representar para as comemorações do dia de Portugal na exposição […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O município de Viana do Castelo será o único, a título individual, convidado a fazer-se representar para as comemorações do dia de Portugal na exposição Xangai2010, como forma de promoção da cultura, tradição e gastronomia minhota junto dos vários interesses chineses, anunciou o autarca local, que vai liderar a comitiva presente no certame entre 03 e 09 de Junho. Para o “Dia de Portugal” na expo, a 6 de Junho, estão programados dois espectáculos com Mariza e Sónia Tavares e um arraial minhoto com presença do Grupo das Lavradeiras da Meadela e um outro de Zés Pereiras, da Casa dos Rapazes, também de Viana do Castelo, além de gigantones e outros elementos típicos da festa minhota.

“Viana do Castelo foi o único município do País a ser convidado para se fazer representar nestas comemorações e para nós esta acção visa a promoção da cidade e do concelho, numa tradição que vem desde a Expo98 em que o traje de Viana correu mundo”, confessou José Maria Costa. Segundo o presidente da Câmara de Viana do Castelo, a comitiva vianense vai representar o Minho na China entre 03 e 09 de Junho, oportunidade que será aproveitada, garantiu, para “estabelecer contactos com empresários chineses e promover novas oportunidades de negócio”. “No fundo será uma operação de marketing cultural e turístico para dar visibilidade a novas oportunidades no mercado chinês”, acrescentou o autarca. Com cerca de 240 países e organizações internacionais, a Xangai2010 decorre até 31 de Outubro, dedicada ao tema “Better City, Better Life” (Melhores Cidades, Maior Qualidade de Vida), e é já a maior exposição universal de sempre. Portugal apresenta-se como “uma praça para o mundo” e “um mundo de energias”, conceitos que procuram ampliar a posição geoestratégica do país (“porta do Atlântico”) e a “criatividade e inovação” dos portugueses. O pavilhão português – um edifício de 2000 metros quadrados, revestido de cortiça – foi visitado por mais de 300 mil pessoas durante as duas primeiras semanas da Expo 2010.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts