FECHAR
Logo
admin 07 Mai 2010

Viana: Povo contra mais dez anos ao lado de aterro sanitário

Ao fim de dez anos a lado a lado com um aterro sanitário, a população de Alvarães prepara-se para conviver com outro, durante outros dez. […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Ao fim de dez anos a lado a lado com um aterro sanitário, a população de Alvarães prepara-se para conviver com outro, durante outros dez. Tudo porque apesar de o aterro intermunicipal da Resulima, actualmente instalado em Vila Fria, Viana do Castelo, estar de mudança para Barcelos, tudo indica que ficará a poucos quilómetros de distância do actual. Pelo meio fica a vila de Alvarães, que continuará paredes meias com o equipamento. A população é que não se conforma. “Sabemos que os aterros são necessários, mas ao fim de dez anos a viver ao lado de um destes é tempo de mudar”, afirmou Marciel Passos, porta-voz de um movimento popular constituído na localidade para contestar o aterro, agora, possivelmente, na vizinha freguesia de Fragoso.

 
Barcelos,  município que a partir de 2011 e durante dez anos deverá assumir a gestão dos resíduos dos seis concelhos da região, aponta para possíveis localizações no Monte de São Gonçalo, junto à freguesia de Fragoso, ou em Palme. O descontentamento de Alvarães passa pelo facto de, após dez anos a conviver com o aterro de Vila Fria, a população prevê uma nova “diminuição da qualidade de vida, degradação ambiental e agravamento de problemas de saúde”. “Os dois aterros que afectam directamente Alvarães não revestem tratamento igualitário e traduzem um prejuízo efectivo da sua população”, acrescenta a população. Garantem que na mesma situação de Alvarães estão os moradores de outras localidades de Viana como Vila de Punhe e Barroselas. “É pouco ético que Barcelos escolha a localização do aterro mas que coloque longe da sua população”, sublinhou, também por seu turno, António Moreira, autarca de Vila de Punhe. Já Cristina Jacques, presidente da Junta de Alvarães reclamou para a freguesia a “mesma qualidade de vida da cidade de Viana”, afirmando que só ficará “descansada” depois de ver o aterro “longe” da freguesia. Preocupações que, entre população e autarcas, chegou esta sexta-feira à Assembleia Municipal de Viana do Castelo, mas que para o presidente da Câmara “não têm razão de ser”, até porque a localização mais gravosa, mesmo na fronteira entre Alvarães e Fragoso, já “foi colocada de parte por Barcelos”. José Maria Costa, lembrou ainda que o município “já foi solidário nos últimos anos” pelo que a Barcelos caberá agora receber o aterro, conforme o acordo estabelecido há mais de dez anos entre os seis municípios servidos pelo aterro da Resulima. As duas possíveis localizações vão para discussão pública e “ainda este ano” terá que ser definida a escolha do novo local, “para que em 2011 se iniciem os trabalhos” de instalação de um aterro que serve ainda os concelhos de Ponte de Lima, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez e Esposende.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts