FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 18 Jun 2010

Transportes Viana – Porto vão subir com portagens na A29

O administrador de uma empresa de transportes públicos de Viana do Castelo afirmou hoje que “é inevitável” o aumento do preço dos bilhetes da carreira […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O administrador de uma empresa de transportes públicos de Viana do Castelo afirmou hoje que “é inevitável” o aumento do preço dos bilhetes da carreira entre aquela cidade e o Porto, por causa da introdução de portagens na A28. “Ainda não sabemos qual o valor da portagem a pagar por um autocarro, mas sabemos que um ligeiro pagará 4.05 euros. Há quem diga que um autocarro será o dobro. O aumento das tarifas será inevitável”, disse Ivo Cunha, administrador da AVIC.

A empresa, que atualmente cobra 6.20 euros por uma viagem entre Viana do Castelo e o Porto, ainda não definiu o valor do aumento do bilhete. Ainda estamos a ponderar”, referiu. Esta empresa tem seis carreiras diárias entre Viana do Castelo e o Porto (três em cada sentido), pela A28, uma autoestrada que a partir de 01 de julho deixará de funcionar em regime SCUT (sem custos para o utilizador). “As portagens serão a gota de água que fará transbordar o copo das dificuldades que as empresas do setor atravessam”, referiu Ivo Cunha. “Ao contrário dos pesados de mercadorias, nós não temos acesso a gasóleo profissional, não temos redução do valor das portagens em períodos noturnos, não temos qualquer apoio do Estado. Agora, ainda levamos com o aumento do IVA e, como se não bastasse, com a introdução de portagens. Tudo isto significa um forte abanão para as empresas de transporte público”, acrescentou o administrador da AVIC. A Lusa contactou outra empresa que faz transporte de passageiros entre Viana do Castelo e o Porto, a Auto Viação do Minho, cujo administrador, Luís Costa, garantiu que também vai aumentar os preços, “mas não por causa das portagens”. “Vamos aumentar por causa da subida do IVA, como acontecerá com todas as outras empresas nacionais do setor”, referiu.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts