FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 06 Ago 2010

Monção: Festival de folclore junta 12 grupos de 10 países de 4 continentes

Doze grupos de 10 países de quatro continentes, num total de 340 elementos, participam no 25.º Festival Internacional de Folclore Ponte de Mouro e Alvarinho, […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Doze grupos de 10 países de quatro continentes, num total de 340 elementos, participam no 25.º Festival Internacional de Folclore Ponte de Mouro e Alvarinho, em Monção, que decorre até domingo, anunciou o diretor do certame. Segundo Boaventura Rodrigues, do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Barbeita, Monção, responsável pela organização do festival, os grupos participantes na edição deste ano são “do melhor que há no mundo”.

“A qualidade e a pontualidade são as imagens de marca deste festival. Outro ponto de honra é que nenhum espetáculo dura mais de duas horas”, referiu, sublinhando que o certame está integrado no Conselho Internacional das Organizações de Festivais de Folclore e das Artes Tradicionais (CIOFF). Argentina, Brasil, Cuba, Indonésia, México, Polónia, Quénia, Senegal e Sérvia são os países estrangeiros representados na edição 2010 deste festival, que decorre desde segunda feira sob o slogan “O Mundo a dançar”. A prestação de Portugal está a cargo do Grupo Etnográfico da Casa Pessoal Hospitais da Universidade de Coimbra, do Grupo Folclórico Vila Nova Sande (Guimarães) e Rancho Folclórico Casa do Povo de Barbeita. Todos os grupos terão oportunidade de mostrar o artesanato dos seus países em stands disponibilizados expressamente para o efeito. Os folcloristas ficam alojados na Escola Secundária de Monção, dormindo em camas que o rancho anfitrião foi “amealhando” aos longos dos anos, através de doações do Exército, da Força Aérea e da Marinha. Panados, lombo de porco, filetes de pescada, rojões, pescada frita e frango assado são alguns dos pratos a servir aos elementos dos grupos participantes, tudo “comida caseira” confecionada por oito cozinheiras. “Há alguns grupos que são mais difíceis de satisfazer, como acontece com o do Quénia, em que uns não comem porco, outros não comem peixe, outros ainda não comem ovos, mas tudo se resolve, e seguramente ninguém sairá daqui com fome”, referiu Boaventura Rodrigues. Estão previstos dez espetáculos, distribuídos por oito dos dez concelhos do Alto Minho, ficando apenas de fora Paredes de Coura e Viana do Castelo. O espetáculo mais emblemático decorrerá no sábado, em Ponte do Mouro, local histórico da freguesia de Barbeita, onde a 1 de novembro de 1386 o Rei D. João I e o Duque de Lencastre acertaram os detalhes do casamento do monarca português com Filipa de Lencastre. O Rancho Folclórico de Barbeita, que já “dá as voltas do vira” desde meados da década de oitenta, recebeu, em 1997, a medalha de mérito do município pelos “relevantes serviços” prestados à cultura e à etnografia.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts