FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 09 Ago 2010

Pousadas vão nascer na Parque Nacional da Peneda-Gerês, EDP cede edificio sexta-feira

O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), no concelho de Ponte de Barca, deverá acolher duas unidades hoteleiras de referência e ambas ligadas, embora de forma […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), no concelho de Ponte de Barca, deverá acolher duas unidades hoteleiras de referência e ambas ligadas, embora de forma diferente, à EDP. É que ao fim de quatro anos de negociações a EDP imobiliária assina esta sexta-feira o contrato de doação da antiga pousada do Alto-Lindoso à Câmara local, mas um pouco mais abaixo a mesma empresa já apresentou um pedido para a construção de um hotel rural. Ao todo, uma das mais visitadas áreas do PNPG vai passar a contar com cerca de 80 quartos num espaço de luxo.
 

 

 
 
Há cerca de 20 anos abandonada e em avançado estado de degradação, a Pousada da EDP, junto à barragem do Alto-Lindoso vai assim reverter a partir de sexta-feira, a custo zero, para o património do Município e retomar nova vida, “Já iniciamos negociações com o Inatel para um possível aproveitamento. É uma das hipóteses, mas o mais importante é que este processo com a EDP, ao fim de quatro anos, está terminado”, explicou Vassalo Abreu, presidente da autarquia de Ponte da Barca. A reabilitação do imóvel, depois de definido o concessionário, deverá envolver um custo de meio milhão de euros. A cedência resulta de um protocolo que acabará com o actual diferendo judicial. Em causa está a posse do edifício da antiga pousada, que durante a construção da barragem acolheu os quadros superiores da empresa, assim como “largas dezenas de hectares de terrenos” comprados na altura pela eléctrica nacional, mas actualmente sem uso e avaliados em mais de cinco milhões de euros. A entrega destes bens, actualmente detidos pela EDP Imobiliária, é reivindicada pela Junta local como “moeda de troca” pelos prejuízos sofridos pela construção da barragem. Uma questão que se arrasta desde 1990, mas que há cinco anos fez a contestação subir de tom, depois de a empresa pública ter colocado a pousada à venda. As autoridades do Lindoso responderam com duas providências cautelares uma da Junta de Freguesia e outra do Conselho Directivo de Baldios, visto a pousada ter sido erguida naqueles espaços. No âmbito deste acordo, os processos serão retirados e a cedência consumada. Entretanto já deu entrada na autarquia de Ponte de Barca um pedido de licenciamento, por parte da EDP Imobiliária, para a reconversão de uma actual pousada, usada por quadros da empresa, junto à central eléctrica de Paradamonte, um pouco abaixo do Lindoso e ainda em área do PNPG, em Hotel Rural com SPA e um total de 40 camas, projecto que está apenas dependente do parecer do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade. “É com muita satisfação que vemos o evoluir destes dois investimentos. A nossa aposta é o turismo do Ambiente, fazendo o aproveitamento do facto de 52% do nosso território ser Reserva da Biosfera. Temos que o aproveitar turisticamente”, acrescentou Vassalo Abreu, autarca de Ponte de Barca.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts