FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 28 Out 2010

Onze anos depois, antigo vereador do CDS-PP responde em Tribunal por desaparecimento de empresário galego

O Tribunal Judicial de Valença começa a julgar a 15 de Novembro o antigo vereador do CDS-PP na Câmara local, acusado, juntamente com mais três […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Tribunal Judicial de Valença começa a julgar a 15 de Novembro o antigo vereador do CDS-PP na Câmara local, acusado, juntamente com mais três elementos, do desaparecimento do empresário Guillermo Collarte, ocorrido há mais de uma década. Dois empresários da Galiza, sócios do galego, e um português suspeito de assalto a bancos alegadamente contratado para consumar o rapto, também estão indiciados.

 
O Tribunal de Valença concluiu, na fase de inquérito, pelos “fortes indícios” do envolvimento dos arguidos e assim decidiu levar o caso para Julgamento. O Ministério Público de Valença aponta como suspeito José Lopes Rodrigues, eleito na altura vereador pelo CDS e que foi uma das últimas pessoas a ver Guillermo Collarte. A 05 de Outubro de 1999 o vereador e Collarte estavam acompanhados pelos espanhóis José Gerardo e Luís S.L. – também arguidos -, empresários com interesses comuns na construção civil, durante uma visita a obras em Valença. O quarto arguido é o português Victor B., suspeito de assaltos a bancos e que terá executado sequestro. O ex-vereador da Câmara de Valença já se afirmou “injustiçado” com estas acusações, mas admitiu “o azar de ter estado” com o empresário espanhol no dia em que este desapareceu. “Como fui eu, podia ter sido qualquer outro”, afirmou José Lopes Rodrigues, lembrando o seu “passado impecável”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts