FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 11 Out 2010

Onze distritais foram a votos no PS, líder há 18 anos já foi substuido

Onze estruturas federativas regionais do PS foram a votos esta sexta-feira, mas apenas três apresentaram mais do que um candidato (vitória Marcos Perestrello em Lisboa, […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Onze estruturas federativas regionais do PS foram a votos esta sexta-feira, mas apenas três apresentaram mais do que um candidato (vitória Marcos Perestrello em Lisboa, de Pedro Nuno Santos em Aveiro, e de Vítor Ramalho em Setúbal), registando-se nas restantes candidaturas únicas, como a de José Manuel Carpinteira que, com 96% dos votos sucede na liderança “rosa” do distrito de Viana do Castelo a cargo, nos últimos 18 anos, de Rui Solheiro.

Em Vila Real Rui Santos assume a liderança distrital do PS, em quanto que na “Regional Oeste” é a vez de Rui Prudêncio e em Portalegre Jorge Martins. Em Leiria venceu a lista única de João Pedrosa, na Guarda a de José Albano, em Bragança Mota Andrade, e em Braga Jorge Barreto. Depois destas eleições, realizadas sexta-feira à noite, sai de cena um dos verdadeiros “dinossauros políticos” socialistas. Rui Solheiro deixa a estrutura regional do partido, mas mantém-se na Câmara de Melgaço, sendo sucedido por outro autarca Minho em fim de mandato, José Manuel Carpinteira.  “Faço-o com a convicção de um consenso generalizado à volta do meu nome e com a certeza que nas próximas batalhas políticas o PS distrital estará coeso, unido e comprometido com o bem-estar de todos os alto minhotos e o desenvolvimento económico, social e cultural da região”, afirmou o agora líder federação de Viana do PS. Reconhece tratar-se de um “desafio aliciante, motivador e de enorme responsabilidade” por ter de “continuar o excelente trabalho desempenhado pelo presidente cessante” e por isso “tudo faremos para manter a coesão e estabilidade do partido no distrito”. Nas eleições desta sexta-feira o carismático líder “rosa” de Melgaço já não poderia concorrer, por limite de mandatos e há vários meses que Carpinteira, que foi um dos mais jovens presidentes de Câmara do PS, era apontado como sucessor natural de Solheiro. José Manuel  Carpinteira  foi tido como a escolha unânime, sendo que os militantes fizeram mesmo circular um documento pelas 10 Comissões Políticas Concelhias do PS, no sentido de formalizar os respectivos apoios. Carpinteira notabilizou-se ao assumir em 1989 a liderança da Câmara de Vila Nova de Cerveira que nos últimos anos passaria a ser denominada de forma comum como “Vila das Artes”. Carpinteira garante desde já que o primeiro teste à futura direcção da Federação serão as eleições presidências, prometendo total empenho das estruturas locais à candidatura apoiada pelo PS, liderada por Manuel Alegre. Curiosamente o deputado socialista Defensor Moura, eleito por Viana do Castelo, também está na corrida, mas não terá qualquer apoio das estruturas do partido. Carpinteira, antes mesmo de entrar na corrida, tinha já classificado a candidatura do ex-presidente da Câmara de Viana do Castelo como “sem sentido”, dado o partido já ter declarado o apoio a Alegre.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts