FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 16 Out 2010

PIDDAC2011: Carpinteira (PS) lamenta os habituais últimos lugares de Viana

O distrito de Viana do Castelo continua sem descolar dos últimos lugares do ranking do Plano de Investimentos e Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC), neste […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O distrito de Viana do Castelo continua sem descolar dos últimos lugares do ranking do Plano de Investimentos e Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC), neste caso para 2011, passando a ocupar agora o número 14 da lista. No entanto, o Estado prevê apenas um investimento directo de menos de 4.6 milhões de euros, contra os seis de 2009 e os 42 milhões de 2008. Há uma década, os investimentos, no último Governo de Guterres, eram na ordem dos 118 milhões de euros. Contactado pela Geice, José Manuel Carpinteira, líder distrital do PS lamentou o facto de Viana do Castelo continuar ser descolar dos últimos lugares da tabela.
 
QUER CONSULTAR O DOCUMENTO? A GEICE REVELA-O AQUI

 
Ainda assim, e prometendo uma análise mais exaustiva do documento para os próximos dias, o novo líder da Federação “rosa” fez questão de salientar que grande parte dos investimentos tem sido feitos à custo de outros programas, nomeadamente comunitários, “e também por isso a tendência de “redução de investimento do Estado já era esperada”. Ou seja, para o Alto-Minho o Governo central prevê um investimento de 4,6 milhões de euros, num documento que tem ainda a particularidade de contemplar apenas verbas para 6 dos 10 concelhos do distrito, ficando sem qualquer dotação municípios como Paredes de Coura, Arcos de Valdevez, Melgaço e Vila Nova de Cerveira. Refira-se que grande parte da verba prevista pelo PIDDAC fica na capital de distrito, Viana do Castelo, com cerca de 2,8 milhões de euros, principalmente para as obras previstas para o novo porto de pesca da cidade e pouco mais, além de obras na Secundária de Lanheses. No concelho de Valença há uma dotação orçamental de pouco mais de 57 mil euros com vista ao arranjo urbanístico do núcleo amuralhado da cidade. Para Ponte de Lima há 16.800 euros para obras no Tribunal da Comarca, enquanto que em Ponta da Barca a expansão da Rede Nacional de Lojas do Cidadão deixa pouco mais de 186 mil euros. Para monção, curiosamente, a Banda de Música local é a única contemplada, com 25 mil euros, para obras na sua sede. Caminha recebe um valor residual de 2500 euros para serviços culturais. Ainda assim, o distrito de Viana do Castelo larga definitivamente o último lugar de vários anos, para ficar acima de distritos como Beja, com cerca de 4 milhões de euros de investimento previsto, Guarda, com 4,4 milhões, e Viseu, com 2,7 milhões. Mesmo na cauda da tabela do PIDDAC para 2011 aparecem os distritos de Portalegre com 966 mil euros e 656 mil euros de Bragança. Como não podia deixar de ser, a tabela é liderada por Lisboa, com um investimento previsto pelo Governo de 201 milhões de euros, o Porto com 68 milhões e, por exemplo, o distrito vizinho de Braga com 19.3 milhões.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts