FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 30 Dez 2010

31 de Dezembro: Leoni fecha definitivamente as suas portas

A fábrica de Viana do Castelo da multinacional alemã Leoni, que no início deste ano empregava 602 trabalhadores, encerra definitivamente portas esta sexta-feira, tendo já […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A fábrica de Viana do Castelo da multinacional alemã Leoni, que no início deste ano empregava 602 trabalhadores, encerra definitivamente portas esta sexta-feira, tendo já as instalações sido vendidas. A Leoni dedicava-se ao fabrico de cablagens para o sector automóvel e iniciou a sua actividade em Viana do Castelo em 1991, com a criação da Cablinal Portuguesa, tendo chegado a empregar 2600 pessoas. No início deste ano, já apenas eram 602 trabalhadores, que foram saindo progressivamente, restando actualmente 11 administrativos “para tratar de toda a burocracia relacionada com o encerramento”. Branco Viana, o Coordenador da União de Sindicatos de Viana do Castelo, entende que as entidades competentes deveriam ter feito mais para evitar o encerramento desta empresa.

 
De acordo com o responsável pela comunicação da Leoni, Pedro Castro, a multinacional colocou à disposição dos trabalhadores uma empresa de ‘outplacement’, para os ajudar a encontrar uma nova alternativa de trabalho ou para os orientar no processo de criação do seu próprio emprego. A empresa também ofereceu aos trabalhadores interessados um curso de reconversão profissional, mas “não terá chegado a 20” o número de trabalhadores que conseguiram arranjar novo emprego. A administração da Leoni Viana justificou o encerramento da unidade com a crise internacional, que levou à diminuição de encomendas e à consequente “queda a pique” da facturação. Em 2003, a fábrica facturou 57 milhões de euros, passando para 39 milhões em 2005, e descendo para 31 em 2007 e 21,5 milhões em 2009.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts