FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 25 Dez 2010

Pobreza: Bispo de Viana do Castelo admite que políticas de combate “não têm sido as melhores”

O bispo de Viana do Castelo admitiu hoje que as políticas de combate à pobreza em Portugal “não têm sido as melhores”, mas manifestou-se convicto […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O bispo de Viana do Castelo admitiu hoje que as políticas de combate à pobreza em Portugal “não têm sido as melhores”, mas manifestou-se convicto de que o país conseguirá encontrar os meios para sair dos “tempos difíceis”. “Se olharmos para os resultados, temos de dizer que [as políticas] não têm sido as melhores. Mas é evidente que nesta questão da pobreza não são só as políticas do Governo que têm culpas, é uma questão internacional que ultrapassa os limites do nosso país”, sublinhou, Anacleto Oliveira.

O prelado acrescentou que o fenómeno da pobreza “já não é novo em Portugal” e lembrou que o país já passou “por crises mais graves”, tendo sempre conseguido ultrapassá-las.“Estou convencido que com esta crise irá suceder o mesmo”, afirmou, apelando ao redobrar de esforços, de imaginação e de criatividade dos portugueses.Anacleto Oliveira instou Portugal a não se deixar dominar “por aquilo que chegue a nível mundial” e manifestou a sua convicção de que os governantes portugueses, “estes ou outros que virão”, saberão encontrar os meios de saída “destes tempos difíceis”.O Bispo de Viana do Castelo, que vai hoje passar a consoada de Natal com um grupo de pessoas desfavorecidas, desafiou as vítimas da pobreza a não desanimarem e acreditarem sempre num futuro melhor.“Não desanimem. Mantenham-se otimistas, nada é definitivo, os momentos difíceis serão ultrapassados. Com o seu esforço e com a solidariedade de toda a gente, melhores tempos aparecerão”, referiu.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts