FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 29 Jan 2011

Pais e alunos da Escola Básica e Secundária de Barroselas ameaçam endurecer a luta contra “a chuva e o frio” no estabelecimento escolar

Vestidos de negro e empunhando tarjas pretas onde se podiam ler palavras de ordem como “mais remendos não, obras já”, mais de duas centenas de […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Vestidos de negro e empunhando tarjas pretas onde se podiam ler palavras de ordem como “mais remendos não, obras já”, mais de duas centenas de pais e alunos da Escola Básica e Secundária de Barroselas manifestaram-se este sábado à tarde nas principais ruas de Viana do Castelo. O “passeio de protesto” entre o Campo D’Agonia e o Governo Civil foi, de acordo com Armando Dias, o presidente da Associação de Pais, uma forma de alertar para os problemas que actualmente a escola enfrenta, como o frio e as infiltrações de água, e também uma forma de exigir respostas concretas em relação aos prazos previstos para a realização de uma intervenção mais profunda no estabelecimento de ensino.“Vamos esperar um mês por uma resposta. Se ela não chegar, ou se chegar e não for satisfatória, continuaremos a luta. O próximo passo pode ser uma manifestação junto à DREN”, garantiu Armando Dias.
 

Em declarações à Geice, Armando Dias explicou que, embora já se tenham iniciado há dias obras destinadas a obviar os problemas mais urgentes da escola, como as infiltrações de água, há outros problemas que vão subsistir, como o frio ou a humidade acumulada nas paredes e tectos, com a consequente proliferação de “fungos”, o que, de acordo com o encarregado de educação, põe em causa as próprias condições de higiene e salubridade do estabelecimento de ensino. Recorde-se que o Governador Civil de Viana do Castelo tinha já explicado que, para além das obras que agora estão a decorrer, o estabelecimento de ensino estava já sinalizado junto da Parque Escolar E.P.E. como sendo de “intervenção prioritária”. O presidente da Associação de Pais acrescenta ter recebido a indicação de que a intervenção seria incluída na “fase 4” das obras a realizar no parque escolar nacional mas que, até agora, ainda ninguém explicou quando é que esta fase se iria iniciar. Daí a realização deste protesto, já que todos temem que a necessária intervenção de fundo seja adiada para as “calendas gregas”. Refira-se que a Escola Básica e Secundária de Barroselas é actualmente frequentada por cerca de 600 alunos.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts