FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 11 Jan 2011

Presidenciais: Defensor Moura percorre ruas de Viana e encontra palavras de incentivo na terra natal

O candidato presidencial Defensor Moura percorreu hoje o comércio tradicional de Viana do Castelo distribuindo panfletos e apelando ao voto nas eleições presidenciais, uma caminhada […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O candidato presidencial Defensor Moura percorreu hoje o comércio tradicional de Viana do Castelo distribuindo panfletos e apelando ao voto nas eleições presidenciais, uma caminhada que pode “ser difícil” mas para a qual encontra palavras de incentivo na terra natal. A ação foi imprevista. Sem bandeiras ou ofertas de brindes, o candidato independente foi entrando e saindo das lojas do centro da cidade, juntamente com o resto da comitiva que o acompanhou durante a manhã. Depois de vários anos presidente da Câmara de Viana, Defensor Moura é reconhecido por toda a gente e são também muitos os que garantem o seu voto no dia 23 de janeiro. “Somos vianenses, temos que valorizar o que é nosso”, afirmou Manuela Castelar. Esta popular diz que tem ainda bem presente na memória a “evolução” que Viana do Castelo sentiu com Defensor Moura e, por isso, garante que ele dava “um bom Presidente da República”. “É um homem íntegro e honesto”, assegurou.

 
Atrás do balcão de uma ourivesaria, Rosa Fernandes garantiu o voto no candidato independente, mas deixou um desabafo: “vai ser muito difícil”.Ao ver entrar o deputado num café, Conceição Anjos gracejou: “vem aí o Cavaco”. “Eu reconheço muito bem o doutor Defensor Moura. Foi apenas uma provocação. Em quem vou votar? Ainda não sei, ainda tenho muito tempo para pensar”, salientou.
efensor Moura escolheu a solidariedade como o principal tema para o terceiro dia de campanha.Por isso mesmo e para destacar um bom exemplo, o candidato visitou uma das valências da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Viana do Castelo.“É possível a inclusão”, afirmou o deputado socialista, recorrendo à palavra de ordem do presidente norte-americano Obama.O candidato acredita que “é possível integrar todos os portugueses na vida quotidiana do país, é possível que o país recupere das suas dificuldades e possa integrar o contexto europeu de uma forma parceira com os outros países, e não estar constantemente a pedir apoios, empréstimos e à espera dos bons olhos e boas ações dos outros países”.Na APPACDM, o candidato foi surpreendido com o cantar dos Reis por parte de um grupo de meninos da instituição e ainda teve direito a uma quadra: “ao doutor Defensor Moura, que tem tanta competência, desejamos felicidades e que chegue à presidência”.O antigo autarca não se fez rogado e juntou a sua voz ao refrão. Um pouco mais à frente jogou matraquilhos com utentes da associação e ainda foi buscar à memória recordações da vida de autarca quando passou pelo atelier onde são feitos os tradicionais cabeçudos.Como quando ofereceu um desses cabeçudos a um secretário de Estado, que depois retribuiu com uma verba em dinheiro ao ter uma folga orçamental no final do ano, ou do presidente do Futebol Clube do Porto, que ao receber nas mãos uma caixa vermelha, afirmou que lá dentro “só podia estar um cabeçudo”.Apesar de acolher 750 utentes em todo o distrito de Viana do Castelo, o presidente da APPACDM, Manuel Domingues, salientou que a instituição apenas consegue dar resposta a cinco por cento das necessidades.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts