FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 31 Jan 2011

Viana: Lontra bebé “à deriva” a tentar atravessar estrada “realojada” no Aqua-Museu do Rio Minho

Uma lontra bebé foi hoje encontrada “à deriva” a tentar atravessar uma estrada em Viana do Castelo, e já foi entregue ao Aqua-Museu do Rio […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Uma lontra bebé foi hoje encontrada “à deriva” a tentar atravessar uma estrada em Viana do Castelo, e já foi entregue ao Aqua-Museu do Rio Minho, em Vila Nova de Cerveira, onde vai ser “devidamente tratada”. O mamífero foi localizado junto ao rio Lima e, num primeiro momento, entregue aos cuidados do Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA) de Viana do Castelo, onde rapidamente conquistou o coração de todos quantos ali trabalham.

 
Além de mimos, a lontra teve também direito a um lanche, concretamente duas sardinhas, que “devorou num ápice”.“É muito jovem, ainda muito dependente da mãe, deve ter-se perdido da progenitora. Estava a tentar atravessar a estrada, estava perdida, desorientada. Seria um risco devolvê-la ao rio, porque não ia encontrar a mãe e teria dificuldade em alimentar-se”, disse a diretora do CMIA. Segundo Leonor Cruz, a lontra mede 50 centímetros e “é muito levezinha”, pesando cerca de um quilo. “Como aqui não temos condições para a ter, contactámos o Aquua-Museu do Rio Minho, em Vila Nova de Cerveira, que já tem experiência com lontras”, acrescentou Leonor Cruz. Disse ainda que “gostaria muito” que aquela lontra fosse batizada de “Princesa do Lima”, nome por que é conhecida a cidade de Viana do Castelo. Os técnicos do Aqua-Museu, que foram recolher a lontra, admitiram que ela pudesse ter estado “em cativeiro” e, por qualquer razão, tivesse fugido. “Está extremamente sociável, tem todo o aspeto de ter estado em cativeiro, o que é ilegal mas que, como todos sabemos, acontece muitas vezes”, disse um dos técnicos. No Aqua-Museu do Rio Minho já há duas lontras adultas: o macho chama-se Einstein e a fêmea Eureka. A esperança é que eles se reproduzam, o que poderá acontecer na primavera. A torcer para que a relação “dê frutos” ficará, certamente, a Princesa do Lima, para assim ter amigos “mais ou menos da mesma idade para brincar”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts