FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 27 Jan 2011

Viana: Orquestra Sinfónica dá concerto a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro

A Orquestra Sinfónica da Escola Profissional de Música de Viana do Castelo dá Sábado um concerto no Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana, sendo […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A Orquestra Sinfónica da Escola Profissional de Música de Viana do Castelo dá Sábado um concerto no Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana, sendo solista o violetista Jano Lisboa e maestro convidado o alemão Ernst Schelle.

A receita deste concerto reverterá a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro, que está a comemorar o seu 70.º aniversário, com um conjunto de ações centradas em Viana do Castelo durante o mês de Janeiro. No Domingo, o concerto terá como palco o Centro Cultural de Paredes de Coura, mas aí a entrada será livre. Este concerto encerra o estágio daquela Orquestra Sinfónica, que durou dez dias e foi orientado por Ernest Schelle. O concerto abre com o prelúdio da ópera “Amor de Perdição”, do compositor portuense João de Arroyo, composta a partir do romance homónimo de Camilo Castelo Branco. A primeira parte será preenchida por obras concertantes nas quais a viola d’arco, numa interpretação a cargo de Jano Lisboa, assume o papel de solista, percorrendo diferentes períodos estilísticos e quadrantes geográficos. A segunda parte do concerto é dedicada por inteiro à Sinfonia nº 3 de Robert Schumann, em mi bemol maior, dita Renana.
Jano Lisboa é natural de Viana do Castelo, começou os estudos na Academia de Música e na Escola Profissional de Música daquela cidade e atualmente é membro da Orquestra de Câmara de Munique. Já realizou concertos em algumas das mais prestigiadas salas de espetáculo, como o Mozarteum em Salzburg, Royal Albert Hall em Londres, Théâtre du Châtelet e Théâtre du Champs-Élisées em Paris, Concertgebouw em Amsterdão, Jordan Hall em Boston, Herkulessaal em Munique, Philharmonie em Berlim, entre outras. Apresentou-se a solo com as maiores orquestras portuguesas, nomeadamente a Orquestra Gulbenkian e a Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts