FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 08 Fev 2011

Viana: Sem financiamento e sem alternativas, Câmara de Viana admite suspensão definitiva do Coliseu

O presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, admitiu esta segunda-feira a possibilidade de suspender definitivamente a construção do Coliseu, na frente […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, admitiu esta segunda-feira a possibilidade de suspender definitivamente a construção do Coliseu, na frente ribeirinha da cidade. Sem financiamento, sem dinheiro e sem plano B, José Maria Costa já pediu ao arquitecto Souto Moura, responsável pelo projecto, dados para que o desgaste do equipamento ao longo do tempo seja minimizado.

 
José Maria Costa mostrou-se empenhado em encontrar uma solução para o problema. Diz que suspender a obra foi uma “decisão difícil” que assentou nas dificuldades económicas. O autarca disse que “não era justo para o município” comprometer verbas que podem ser usadas para outras necessidades. Apesar disso, continua a dizer que o Pavilhão Multiusos é um “projecto importante para Viana”. Em reunião de Câmara, a oposição mostrou-se indignada com o que dizem ter sido uma “irresponsabilidade política” do ex-autarca, Defensor Moura. Carvalho Martins, porta-voz do PSD, diz que avançar com a obra sem financiamento comunitário garantido foi “uma total irresponsabilidade de Defensor Moura” e atribuiu “99% da responsabilidade” ao ex-autarca vianense. Carvalho Martins concorda com a decisão de suspender temporariamente a obra e diz que é preciso um “plano B”. Terminou com mais ataques a Defensor Moura, dizendo que o ex-autarca trouxe “situações jurídicas e financeiras graves” a Viana do Castelo, relembrando os problemas com o mercado, a Pólis, o Prédio do Coutinho e, agora, com o Coliseu. Também António José Amaral, do PSD, diz que suspender a obra foi uma “atitude consciente e responsável”. O vereador da oposição diz que Defensor Moura enganou todos ao dizer, em 2007, que já tinha financiamento. Acusou mesmo o ex-presidente da Câmara de “16 anos de mentira”. Também Aristides Sousa, do CDS-PP, diz que avançar para a construção do Coliseu sem financiamento foi uma “imprudência política” e uma “irresponsabilidade de gestão”. O vereador da oposição também concorda com a suspensão da obra. José Maria Costa admite que a suspensão da obra “é um risco” mas a única solução possível, já que a Câmara não tem dinheiro para continuar a empreitada. O autarca vianense procura parcerias e financiamento em tudo o que é lado e diz “não ser esquisito”. A Câmara de Viana continua assim a procurar os 7 milhões de euros que faltam para terminar de construir o Coliseu projectado por Souto Moura.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts