FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 17 Mar 2011

V.N.Cerveira : Cliente vai receber no telemóvel fotografia de quem pescou a lampreia que está a comer

Estar à mesa de um restaurante, pedir lampreia e, através da etiqueta, receber no telemóvel a fotografia de quem a pescou será em breve uma […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Estar à mesa de um restaurante, pedir lampreia e, através da etiqueta, receber no telemóvel a fotografia de quem a pescou será em breve uma realidade, garantem os promotores do projecto que pretende certificar a origem deste ciclóstomo. O projecto, apresentado esta quarta-feira em Vila Nova de Cerveira, pretende unir os esforços dos cerca de 400 pescadores do rio Minho que, nos primeiros meses de cada ano, se dedicam à safra da lampreia, entre portugueses e galegos.

Com este projecto, os consumidores, ficam a saber que estão a comer lampreia do rio Minho e não de outro sítio qualquer, explicou José Benito Alvarez, líder de um grupo de quatro espanhóis que desenvolveram o projecto.  O primeiro passo prevê a entrega das 200 mil lampreias que são pescadas no rio Minho, todos os anos, num viveiro, onde serão etiquetadas, “de forma única”. “Depois é aplicado carimbo de garantia sob a própria lampreia, porque não sangra. E chega com o carimbo, um desenho próprio do projecto, até ao prato, para certificar a origem”, garante o promotor do “RM Rio Minho”. Nos restaurantes aderentes será entregue ao cliente a etiqueta, em plástico, que acompanhava a lampreia. O cliente pode ainda usar a etiqueta para pesquisar mais tarde, directamente num computador, através do site de internet do projecto, outras informações sobre o pescador ou a própria lampreia. A iniciativa é privada, que se assumirá como um intermediário entre pescadores e restaurantes na compra e venda da lampreia, e pretende contrariar o “lucro fácil” de alguns intermediários. Além do conceito inovador envolveu ainda a criação, no último ano, de um sistema informático que vai gerir toda a informação, etiquetagem e respostas electrónicas aos pedidos dos clientes. Ainda em 2011 o sistema será testado em apenas três restaurantes do vale do rio Minho, já que a safra daquele ciclóstomo encontra-se perto do fim.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts