FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 19 Mai 2011

Tecnologia: Politécnico de Viana investe 900 mil euros em fibra óptica e novas tecnologias

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo vai investir 900 mil euros num projecto de reequipamento na área das novas tecnologias para tornar a Escola […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo vai investir 900 mil euros num projecto de reequipamento na área das novas tecnologias para tornar a Escola Superior de Tecnologia e Gestão numa “referência” na área das fibras ópticas. A garantia foi dada pelo coordenador do Curso de Engenharia de Electrónica e Redes de Computadores, o que mais vai beneficiar com o investimento que agora arranca.

 
“Estamos a falar de equipamentos nas áreas das fibras ópticas e telecomunicações, redes e segurança, além de sistemas de informação. Do melhor material que podemos ter para o estudo e prática nestas áreas”, explicou Gaspar Rego. Trata-se do projecto “Capacitar para Formar”, apresentado pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), através da Comunidade Intermunicipal do Alto-Minho, ao Programa Operacional Regional do Norte e que visa a qualificação de técnicos para a utilização das redes municipais e da plataforma tecnológica. Ao todo serão investidos 900 mil euros, financiados em 70% por fundos comunitários e dos quais 600 mil euros serão só para equipamentos tecnologicamente avançados, cuja aquisição vai decorrer até 2012. Um processo que, pela sua dimensão e importância, conta com a consultadoria internacional do prestigiado Fraunhofer Heinrich Hertz Institute (Alemanha). “Neste momento foi adjudicada a componente de redes e segurança e nas próximas semanas será lançado o concurso para aquisição de equipamentos relacionados com fibras ópticas”, esclareceu ainda o coordenador do curso, que já formou mais de uma centena de engenheiros e cuja taxa de empregabilidade é de 95%. A partir do próximo ano lectivo, o curso vai experimentar as primeiras mudanças propiciadas pelo investimento, com alteração dos programas curriculares e o aumento da componente laboratorial nas unidades curriculares das áreas de fibras ópticas e de redes. “O objectivo é que, de facto, venha a ser um curso de referência no ensino superior politécnico”, afirma Gaspar Rego.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts