FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 01 Jun 2011

Eleições: Junta de Alvarães tentou adiar eleições por causa da festa, JSD sugere boicote

A Junta de Alvarães, em Viana do Castelo, tentou, sem sucesso, adiar as eleições legislativas na freguesia para “não haver choque” com as festas locais, […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A Junta de Alvarães, em Viana do Castelo, tentou, sem sucesso, adiar as eleições legislativas na freguesia para “não haver choque” com as festas locais, o que levou a JSD local a sugerir um boicote às urnas. A autarca de Alvarães, Cristina Jaques (PSD), disse hoje que contactou formalmente a Câmara e o Governo Civil de Viana do Castelo, no sentido de aferir da possibilidade de adiar as eleições, mas a resposta foi negativa.

 
“Disseram-nos que a coincidência das eleições com uma festa não era, legalmente, motivo para qualquer alteração. Resta-nos acatar e preparar o acto eleitoral, mas que é uma situação muito chata, lá isso é”, acrescentou. As eleições em Alvarães realizam-se normalmente na sede da Junta, situada em pleno centro da vila, que por altura da Festa dos Andores Floridos “fervilha de gente”. Aquela festa, por tradição, realiza-se 40 dias a seguir à Páscoa, tendo o seu dia maior no domingo, precisamente o dia das eleições. “Foi uma triste coincidência. Não podíamos alterar a data da festa porque os contratos já estavam fechados há muito. Mas é claro que o barulho das pessoas, dos foguetes e dos carrosséis torna impossível a realização do acto eleitoral na sede da Junta. Tivemos de improvisar, transferindo as mesas de voto para a escola da freguesia, relativamente afastada do centro”, disse ainda Cristina Jaques. Entretanto, a JSD de Alvarães, em artigo publicado no boletim “JA”, lembra que o boicote eleitoral é outra forma de provocar o adiamento de eleições. “Este acontecimento [boicote] é bastante frequente como forma de protesto e, quando é realizado, normalmente o acto eleitoral é realizado uma semana mais tarde nesse local”, refere o artigo, assinado por Jorge Neiva. Para a JSD, a realização de eleições no dia da festa “traz um grande transtorno” à população local. Lembra que a maior parte dos jovens da terra também exerce um papel activo na realização da festa, nomeadamente, através da participação na procissão em que os andores floridos são levados em ombros.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts