FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 26 Jul 2011

Construção de uma nova ponte em Monção é uma das hipóteses avançadas: Estudo de Avaliação da Rede Rodoviária no Alto Minho em Consulta Pública até Agosto

O Estudo de Avaliação da Rede Rodoviária no Alto Minho, promovido pelo Instituto de Infra-Estruturas Rodoviárias, encontra-se em Consulta Pública até ao próximo dia 8 […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Estudo de Avaliação da Rede Rodoviária no Alto Minho, promovido pelo Instituto de Infra-Estruturas Rodoviárias, encontra-se em Consulta Pública até ao próximo dia 8 de Agosto. No documento, ao qual a Geice teve acesso, são quatro os cenários possíveis que se apresentam à região. O Cenário 3, o mais valorizado neste estudo, verte as orientações estratégicas do PROT Norte e, considera a concretização de diversas intervenções: O prolongamento do IC1 entre Valença do Minho e Moção; a não construção do IC28 na ligação entre Ponte da Barca e a fronteira do Lindoso; e a requalificação de diversos troços da EN101 entre Ponte da Barca e Braga.

 
A opção por se considerar a avaliação do prolongamento do IC1 resultou do facto do PROT Norte sustentar o “conceito estratégico de desenvolvimento do corredor Caminha – Vila Nova de Cerveira – Valença – Monção – Melgaço, enquanto uma das dimensões essenciais da afirmação da Euro-região Galiza/ Norte de Portugal, e em particular, do triângulo Valença – Tui/ Monção – Salvaterra/ Plataforma Logística de Salvaterra das Neves /Porriño”. No caso específico do troço da EN 101 entre Valença e Monção, o PROT Norte considera que se deverá estender o corredor do IC1 a esta ligação e prever a possibilidade de construção de uma nova travessia rodoviária do rio Minho. E uma nova ponte em Monção, diz o autarca José Emílio Moreira, é mesmo necessária.
Refira-se que, de acordo com o estudo, esta opção resulta da perspectiva de concretização de importantes projectos tais como: a Plataforma Logística transfronteiriça de Valença do Minho; a ligação ferroviária de Alta velocidade Porto-Vigo mista (passageiros e mercadorias) com ligação à plataforma logística de Valença; e a Plataforma Logística de Salvaterra das Neves. Para o prolongamento do IC1 entre Valença do Minho e Monção estudaram-se duas hipóteses distintas, as quais procuram dar continuidade às duas hipóteses alternativas de traçado apresentadas no Estudo de Viabilidade do IC1 entre Caminha e Valença. As soluções propostas permitem viabilizar a construção de uma eventual nova ligação a Espanha, próximo de Monção, permitindo assim avaliar as questões suscitadas pela localização da Plataforma Logística de Salvaterra-das-Neves, Plataforma Logística de Valença do Minho e da Área de Acolhimento Empresarial de Monção. A velocidade base admitida foi de 80 km/h. A primeira hipótese, com uma extensão de 18 km, custaria cerca de 85 M€. No caso da segunda hipótese, com uma extensão de 21,5 km, o custo ascenderia a cerca de 115 M€.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts