FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 19 Jul 2011

ENVC: Projectos do PCP e BE regressam à Comissão de Defesa na próxima semana

Os projectos de resolução do PCP e do BE para a suspensão do processo de reestruturação dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo voltarão a […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Os projectos de resolução do PCP e do BE para a suspensão do processo de reestruturação dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo voltarão a ser discutidos na próxima semana, depois de sujeitos a alterações que possam viabilizar a sua aprovação pelos diversos partidos. Depois de PSD e CDS-PP terem considerado os projectos “extemporâneos”, apesar de merecerem a sua concordância, porque o Governo já anunciou a suspensão daquele plano de reestruturação, que previa a saída de 380 dos 720 trabalhadores, PCP e BE manifestaram-se disponíveis para alterarem os textos, de forma a acolherem contributos dos diversos partidos.

 
O presidente da comissão, Matos Correia (PSD), determinou que “ate à próxima semana”, os grupos gerem “um consenso para um texto de substituição”. O deputado comunista Honório Novo sublinhou que a suspensão por parte do Governo do plano de reestruturação que, para os comunistas, reduzia-se a um “plano de despedimento colectivo”, “não torna inútil” a iniciativa e argumentou que o PCP propõe a “reanálise participada” do processo, ou seja, com o envolvimento dos trabalhadores. Segundo Honório Novo, o estaleiro dispõe de uma “carteira de encomendas que poderia garantir a produção plena na empresa até ao princípio de 2015”, no valor de cerca de 500 milhões de euros. A deputada bloquista Mariana Aiveca argumentou que “o Bloco de Esquerda teme que este seja mais um processo de um filme” já visto “em estaleiros em Portugal”, lembrando o caso da Lisnave. O deputado socialista Jorge Fão reconheceu que momento em que o plano foi anunciado – com o Governo anterior em gestão – foi “infeliz” e declarou que o facto de ter sido elaborado por um conselho de administração nomeado pelo Executivo do PS não implica sua “anuência” total. Contudo, o deputado disse ter existido pelos Governos do PS uma “procura incessante de conseguir novas encomendas, soluções para os problemas que foram surgindo”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts