FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 19 Ago 2011

Parque Expo: Autarcas reclamam “diálogo” com a Ministra do Ambiente para “dar continuidade” ao Polis do Litoral Norte

O presidente da Câmara de Viana do Castelo apelou ao “diálogo” da ministra do Ambiente com os autarcas para “dar continuidade” ao projeto do Polis […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O presidente da Câmara de Viana do Castelo apelou ao “diálogo” da ministra do Ambiente com os autarcas para “dar continuidade” ao projeto do Polis do Litoral Norte, depois da extinção da Parque Expo. “Estou convencido que o Polis do Litoral Norte, como os restantes, são bons projetos e estou certo que haverá um diálogo do Ministério do Ambiente com os municípios para dar continuidade”, afirmou José Maria Costa.

 
No que respeita aos programas Polis ainda em curso, a ministra do Ambiente afirmou hoje que “estão todos a ser avaliados para ver o que é urgente, ver o que é que o Estado tem mesmo de fazer e aquilo que agora não é o momento ideal para fazer”. O presidente da Câmara de Viana do Castelo reagia ao anúncio da extinção da Parque Expo – feito hesta sexta-feira pela ministra do Ambiente, Assunção Cristas -, entidade que tem vindo a apoiar tecnicamente os projetos idealizados pela sociedade Polis do Litoral Norte para a costa entre Esposende e Caminha. “As Câmaras, como acionistas [da Polis do Litoral Norte] estão interessadas em continuar este projeto, tendo em conta a requalificação e preservação da costa”, sublinhou o autarca de Viana. Ainda esta semana a sociedade Polis do Litoral Norte anunciou que conta investir até 2013 cerca de 70 milhões de euros na valorização e reabilitação da costa dos municípios de Esposende, Viana e Caminha. Segundo explicou o administrador da sociedade, “até agora”, foram realizados sobretudo investimentos “em estudos e projetos”, que começaram a ser lançados para obra, num processo a concluir até 31 de dezembro de 2013. Nessa altura deverão estar contratualizados investimentos de 80 milhões de euros em mais de 40 intervenções. “Estamos em valores de cerca de 10 milhões de euros que começam a ser executados. Ainda falta um montante significativo que vamos procurar concretizar até 2013”, explicou António Brito, administrador da sociedade que integra os três municípios minhotos e o ministério do Ambiente.
A Polis do Litoral Norte foi criada em 2008 com a assistência técnica aos projetos por parte da Parque Expo e segundo António Brito o capital social que cabe ao Estado, a rondar os nove milhões de euros, “está totalmente assegurado”, completando os três municípios a fatia de sete milhões de euros da comparticipação nacional. Do montante global previsto para todas as intervenções, cerca de 60 milhões serão assegurados por fundos comunitários. “Falta apenas o financiamento por fundos comunitários, mas temos total confiança que existirão”, disse ainda o responsável. Entre os três municípios abrangidos, o Polis do Litoral Norte conta com uma área de intervenção de 5.000 hectares e uma frente costeira de 50 quilómetros, abrangendo os estuários dos rios Coura, Minho, Âncora, Lima, Neiva e Cávado. Apesar da anunciada extinção da Parque Expo, José Maria Costa diz-se “convencido” que será possível “dar uma continuidade” ao trabalho iniciado.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts