FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 12 Ago 2011

Ponte da Barca: Bombeiros conseguiram evitar que fogo alastrasse a dois contentores com material pirotécnico depois de explosão

Duas fortes explosões numa pirotecnia de Oleiros, Ponte da Barca, provocaram esta quinta-feira um ferido, um incêndio florestal e avultados danos na própria fábrica e […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Duas fortes explosões numa pirotecnia de Oleiros, Ponte da Barca, provocaram esta quinta-feira um ferido, um incêndio florestal e avultados danos na própria fábrica e nos edifícios vizinhos, tendo sido sentidas a vários quilómetros de distância. “Felizmente que na fábrica não estava ninguém. Se fosse de dia e estivessem pessoas a trabalhar estaríamos a falar de outras consequências”, admitiu o Comandante Distrital de Operações de Socorro, Paulo Esteves.

 
A violência das explosões na fábrica da Pirotecnia Barquense destruiu pavilhões da empresa, postes de electricidade e até viaturas, além de partir vidros de várias habitações na envolvência. Segundo vários relatos locais, foram sentidas a “pelo menos” dez quilómetros de distância. O incêndio que deflagrou na fábrica e que rapidamente se transformou num fogo florestal chegou a ser combatido por 58 bombeiros de seis corporações do distrito de Viana do Castelo, durante mais de uma hora e meia. “Há um ferido a registar, com uma fratura da clavícula. Trata-se de uma pessoa que sofreu uma queda, provavelmente na sequência da onda de choque que se seguiu à explosão”, admitiu Paulo Esteves. As explosões aconteceram cerca das 23:00 de quinta-feira, altura em que não se encontrava ninguém no interior da empresa. A GNR estabeleceu um perímetro de segurança de algumas centenas de metros em redor da fábrica. No entanto, segundo vários populares, a onda choque provocada pela explosão partiu vidros de habitações nas imediações.
Maria do Carmo, proprietária de um estabelecimento comercial em fase de instalação a poucas centenas de metros da fábrica, viu a explosão partir todos os vidros. “Estava à espera de um cenário ainda pior porque foram explosões muito fortes”, contou. O espaço comercial estava em fase final de instalação, mas agora terá de ser totalmente renovado, depois do “susto” que confessa ter vivido.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts