FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 18 Out 2011

P. Barca: Dirigente da JS diz que “há limites para os sacrifícios” e que o Orçamento de Estado para 2012 não pede esforço a quem tem lucros

O dirigente da Juventude Socialista de Ponte da Barca critica o Orçamento de Estado para 2012, apresentado esta segunda-feira. José Pereira Amaral admite que depois […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O dirigente da Juventude Socialista de Ponte da Barca critica o Orçamento de Estado para 2012, apresentado esta segunda-feira. José Pereira Amaral admite que depois de assinado o memorando com a Troika “há objectivos a cumprir” mas diz que “há limites para o sacrifício”. Diz que o Orçamento de Estado soma “austeridade a austeridade”, o que tem efeitos recessivos. Diz ainda que não existe uma estratégia para o desenvolvimento económico do país.

 
Critica ainda o facto de o Orçamento não ter sido apresentado de forma institucional ao PS, sendo a apresentação feita através da comunicação social. José Amaral diz que este Orçamento é um “golpe fortíssimo” e diz que o documento não pede esforço “a quem tem lucros”.
O dirigente da JS de Ponte da Barca mostra-se preocupado com o futuro do concelho. Afirma que estão a ser feitos “cortes cegos” na Segurança Social, na Saúde e na Educação. José Amaral mostra-se ainda preocupado com as AEC’S, Actividades Extra Curriculares, que diz ficarem em “risco” com este tipo de medidas. O presidente da JS de Ponte da Barca lança duras críticas ao Orçamento de Estado para 2012 e mostra-se preocupado com o futuro da educação no concelho.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts