FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 24 Nov 2011

Greve geral: Câmaras Municipais de Paredes de Coura e de Viana do Castelo são as que têm maior adesão à greve

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) fez, ao final da manhã, um balanço de greve geral desta quinta-feira. Segundo o STAL, as Câmaras […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) fez, ao final da manhã, um balanço de greve geral desta quinta-feira. Segundo o STAL, as Câmaras Municipais de Paredes de Coura e de Viana do Castelo são as que têm maior adesão à greve. Em Viana do Castelo, cerca de 85% dos trabalhadores aderiram à greve e nos Serviços Municipalizados vianenses a adesão chega mesmo aos 95%. A Câmara de Paredes de Coura tem a adesão mais significativa, com 92% dos trabalhadores em greve.

 
Em Viana, com a greve dos trabalhadores da autarquia, a Sede e os serviços administrativos estão encerrados, a Piscina do Atlântico e o Pavilhão de Monserrate estão encerrados, a Cantina da Escola Pedro Barbosa está encerrada, bem como a Biblioteca Municipal. Também o Agrupamento Frei Bartolomeu dos Mártires, o Pavilhão de Santa Maria Maior e a Piscina Frederico Pinheiro fecharam portas. O agrupamento de Escolas Carteado Mena e a escola EB1 de Srª das Areias também não estão a funcionar.
José Manuel Lima, do Sindicato, disse à Geice que o balanço é “bastante positivo”, visto que a adesão média no distrito é de 66% por parte dos trabalhadores da administração local.
Em Ponte de Lima, 82% dos trabalhadores municipais estão em greve, enquanto em Ponte da Barca apenas 14% não apareceram para trabalhar. Já nos Arcos de Valdevez a adesão é de 70%, por parte dos trabalhadores municipais. Em Caminha, 80% dos trabalhadores ficaram em casa e, em Vila Nova de Cerveira, 61% fizeram greve. Em Valença e percentagem de trabalhadores em greve é reduzida, apenas 30%, bem como em Monção, que se ficou pelos 12%. Já em Melgaço, 76% dos funcionários da autarquia não foram trabalhar.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts