FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 10 Nov 2011

Viana: Autarca sensibilizou Secretário de Estado para investimento no Porto de Mar, Enercon diz que obras tornariam empresa alemã mais competitiva

Aproveitando a visita do secretário de Estado do Desenvolvimento Regional à cidade, esta terça-feira, o autarca de Viana do Castelo sensibilizou o governante para a […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Aproveitando a visita do secretário de Estado do Desenvolvimento Regional à cidade, esta terça-feira, o autarca de Viana do Castelo sensibilizou o governante para a necessidade de investir no Porto de Mar vianense. O autarca José Maria Costa diz que é importante sensibilizar o Governo para “projectos e investimentos que têm a ver com a criação de emprego e com a melhoria da nossa performance nas exportações”. O Secretário de Estado ficou de informar o “colega do sector dos transportes para que seja operacionalizada uma candidatura” relacionada com o Porto de Mar de Viana, garantiu o edil.

 
Declarações feitas durante uma cerimónia na Enercon. A empresa sedeada em Viana do Castelo mostra-se também interessada na melhoria das condições do Porto de Mar vianense. Francisco Laranjeira, responsável pela Enercon de Viana, espera a “curto prazo” ver melhorias nas condições de acessibilidade e de atracação de navios, para que a empresa possa exportar em condições competitivas.
Neste momento, o Governo está a reprogramar investimentos. O secretário de Estado do Desenvolvimento Regional disse que dentro de duas semanas Bruxelas poderá autorizar a reprogramação técnica dos fundos do QREN, pedida pelo Governo, antecipando assim mais 500 milhões de euros. Recorde-se que, em Outubro, o valor era de 372 milhões de euros, para obras em curso de autarquias, instituições particulares de solidariedade social e até corporações de bombeiros, entre outros. Entretanto, a execução já aumentou para 500 milhões de euros. Estas verbas são do Quadro Nacional de Referência Estratégica (QREN) e vão servir para a realização de projectos em todo o país. O reforço financeiro passa, sobretudo, pelo aumento das respectivas comparticipações comunitárias.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts