FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 29 Jan 2015

Caminha: Reunião descentralizada na freguesia de Seixas com recorde de participação

A primeira reunião descentralizada do executivo de Caminha neste ano de 2015 contou com um número recorde de participantes. O encontro do executivo aconteceu esta […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A primeira reunião descentralizada do executivo de Caminha neste ano de 2015 contou com um número recorde de participantes. O encontro do executivo aconteceu esta quarta-feira no salão da Assembleia de Freguesia de Seixas e contou com 15 inscritos por parte do público. O número de inscrições não passou despercebido a Miguel Alves, autarca caminhense, que felicitou a freguesia pelas inscrições e pela participação das pessoas. Considerou o responsável que esta participação “demonstra a vontade das pessoas participarem e darem ideias ao executivo”.
A Marginal de Seixas, a pesca, as espécies invasoras, a envolvente do Mosteiro de S. Bento, a recolha de lixo e assuntos diversos sobre vários arruamentos, foram os temas mais visados na reunião descentralizada.
Sobre a requalificação da Marginal de Seixas, “uma varanda junto ao rio Minho”, Miguel Alves explicou que o objetivo do Município é valorizar toda a área. Por um lado, o executivo quer qualificar a Marginal, tornando-a ainda mais bonita, e por outro quer ajudar os pescadores, dotando-a das condições necessárias para realizarem o seu trabalho. No entanto, o presidente da Câmara esclareceu que é necessário encontrar financiamento para realizar a obra e lembrou, uma vez mais, que as linhas de financiamento comunitárias não se direcionam para o “betão”. Miguel Alves explicou que a aposta na ecovia “Seixas/Lanhelas” pode ser uma “alavanca” para agarrar outro tipo de investimento.
Sobre a construção do Viveiro, o vereador Rui Teixeira disse que a obra está atrasada e explicou que esse atraso se deve ao facto do atual projeto ter sido candidatado pelo anterior executivo sem projetos de especialidade. Isso significa que foi necessário elaborar os referidos projetos e agora o orçamento já não corresponde ao estabelecido na candidatura.
Relativamente à questão da vespa asiática, o vereador Guilherme Lagido recordou que o Município promoveu um encontro sobre essa espécie invasora e que se concluiu que não se conhece a biologia da espécie, logo é difícil prever o que vai acontecer. O vereador explicou que a Câmara, no protocolo que celebrou com as duas corporações de bombeiros do concelho, contemplou uma alínea que respeita ao apoio na destruição de ninhos de vespa asiática.
Sobre o parque infantil existente no Largo do Mosteiro de S. Bento, Miguel Alves assumiu o compromisso de alterar a sua localização, bem como ainda se comprometeu a alterar o queimador das velas.
Sobre a valorização do Mosteiro, o presidente da Câmara falou da importância de associar o Caminho de Santiago ao Mosteiro de S. Bento e assumiu equacionar a possibilidade de se promover um evento cultural no Mosteiro.
A recolha do lixo foi outra das preocupações manifestadas pelos seixenses. Sobre esta questão, Guilherme Lagido assegurou que o município irá colocar mais contentores na Rua Vale do Coura, ou seja, irá reforçar com mais pontos de recolha aquele local “para que a situação fique equilibrada”.
Quanto às questões ligadas aos arruamentos, o executivo comprometeu-se a estudar cada um dos dossiês.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts