FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 18 Fev 2015

Pesca da sardinha: Preservação da espécie e apoio aos pescadores na origem de Projeto de Resolução do PCP

Os deputados do PCP acabam de dar entrada, no Parlamento, com um Projeto de Resolução que recomenda medidas de proteção ao setor da pesca da […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Os deputados do PCP acabam de dar entrada, no Parlamento, com um Projeto de Resolução que recomenda medidas de proteção ao setor da pesca da sardinha e aos pescadores e armadores da pesca do cerco. Lembram que a sardinha foi durante muito tempo a espécie mais capturada em Portugal. Numa análise às capturas dos últimos 10 anos, constatamos que até 2011 essas capturas situavam-se acima das 50.000 toneladas. O ano de 2009 foi o mais produtivo destes 10 com a captura de 65.000 toneladas. A partir de 2011 inicia-se uma quebra acentuada que fez com que as capturas passassem das 55.000 toneladas nesse ano para as 14.000 capturadas no ano passado, o mesmo valor que, já se sabe, poderá ser capturado em 2015. Assim, em dois anos consecutivos, 2014 e 2015, as capturas de sardinha ficarão, pelo menos, 40.000 toneladas abaixo do que era habitual entre 2007 e 2011. Assim, este Projeto de Resolução visa recomendar ao Governo que “sobre a fundamentação científica das medidas e a informação e esclarecimento de pescadores e armadores: Devem ser do conhecimento público, com explícita informação às estruturas do sector – de armadores e de pescadores – todos os estudos e relatórios que fundamentam as medidas extraordinárias de cessação temporária e as drásticas reduções fixadas para as quotas de captura em 2014 e 2015; Deve ser constituído no âmbito do IPMA um grupo de trabalho permanente, que inclua armadores e pescadores, dotado de meios e recursos humanos suficientes para um acompanhamento sistemático do problema e uma pronta articulação com as estruturas do sector; Sobre as medidas de apoio necessárias para a cessação temporária e para o período normal de defeso: Devem ser avaliados qualitativa e quantitativamente, em colaboração com as estruturas do sector, os apoios concedidos durante a cessação extraordinária verificada entre 19 de setembro e 31 de Dezembro de 2014, tendo em vista a sua possível reformulação em próximos períodos; Face ao impacto agravante que o período habitual de defeso realizado entre Janeiro e Abril de cada ano tem na atual situação económica e social da frota de cerco, por se seguir ao período de cessação extraordinária, o Governo deve criar um apoio extraordinário nos Termos do Regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho, onde se estabelece que o “FEAMP pode apoiar (…) os períodos de defeso”; Devem igualmente ser avaliadas as consequências para a indústria conserveira e tomadas as medidas adequadas para que as paragens travem processos prolongados de degradação económica e/ou o recurso a matéria-prima de baixa qualidade.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts