FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 17 Fev 2015

Projeto “emblemático” da Ecovia do Litoral Norte a unir três concelhos ainda sem financiamento

Esta segunda-feira, numa sessão de apresentação pública dos 17 projetos da sociedade Polis Litoral Norte para o concelho vianense, o presidente do conselho de administração […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Esta segunda-feira, numa sessão de apresentação pública dos 17 projetos da sociedade Polis Litoral Norte para o concelho vianense, o presidente do conselho de administração da sociedade revelou que a Ecovia Litoral Norte ainda não tem financiamento comunitário. A ecovia é o maior projeto da Polis Litoral Norte, que prevê a construção de uma ecovia que ligará Caminha a Esposende, passando por Viana do Castelo, mas ainda não tem financiamento assegurado, segundo Pimenta Machado.
O responsável explicou que a Ecovia terá uma extensão de cerca de 70 quilómetros e ligará Caminha, Viana do Castelo e Esposende, num investimento de 7 milhões de euros. “Ainda não temos financiamento comunitário garantido mas tenho recebido indicações de que o projeto reúne boas condições para encontrar uma fonte de financiamento nos novos fundos comunitários”, disse.

O projeto, “em fase de conclusão” é, para Pimenta Machado, a obra “de referência” da Polis Litoral Norte. “Este será o projeto emblemático desta intervenção de requalificação da costa Litoral Norte que começou a ser pensada em 2008”, sustentou. “É um projeto no qual deposito as maiores expetativas”, revelou.
Recorde-se que a ecovia do Litoral Norte vai nascer junto ao mar, entre o limite sul do concelho de Esposende e a foz do rio Coura, em Caminha, passando por Viana do Castelo.
Além da ecovia do Litoral Norte, segundo Pimenta Machado, aguardam financiamento comunitário a requalificação da frente ribeirinha do Cabedelo, em Darque, na margem esquerda do rio Lima, e o projeto de reordenamento da frente marítima do núcleo da Pedra Alta, em Castelo de Neiva.
Pimenta Machado revelou ainda que o plano de intervenção daquela sociedade Polis Litoral Norte prevê 17 intervenções só no concelho de Viana do Castelo, das quais 3 foram executadas, com destaque para a requalificação da frente ribeirinha de Viana do Castelo, na envolvente do Forte de Santiago da Barra, que custou mais de 3,1 milhões de euros.
O responsável adiantou que há “outras 11 obras, umas em curso e outras em fase final de contratação pública”, num investimento superior a 14 milhões de euros. Como exemplos de obras ligadas à proteção costeira, apontou a recuperação e proteção de sistemas dunares em Montedor na freguesia de Carreço, Areosa, praia do Rodanho em Vila Nova de Anha, dunas da Amorosa na freguesia de Chafé, e na Pedra Alta/foz do rio Neiva.
A sociedade Polis do Litoral Norte prevê obras de reabilitação numa faixa costeira de 50 quilómetros nos concelhos de Viana do Castelo, Esposende e Caminha. Integra ainda as zonas estuarinas dos rios Minho, Coura, Âncora, Lima, Neiva e Cávado, numa extensão de, aproximadamente, 30km. A área de intervenção totaliza cerca de cinco mil hectares e integra o Parque Natural do Litoral Norte.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts