FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 25 Mar 2015

Viana: Autarca pede ao Governo “empenho” na resolução para problemas das IPSS’s do concelho

Esta quarta-feira, o Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo solicitou ao Ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, “empenho” para a […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Esta quarta-feira, o Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo solicitou ao Ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, “empenho” para a resolução de diversos problemas com as IPSS’s do concelho para que estas “possam continuar a prestar o melhor serviço e dar as respostas sociais essenciais à população do concelho”.
O pedido de José Maria Costa surge na sequência de contatos e ofícios enviados no passado e elenca as “principais preocupações e problemas das Instituições de Solidariedade Social do concelho de Viana do Castelo e que estão a criar graves dificuldades ao seu funcionamento”, como o atraso no pagamento do POPH ao Centro Paroquial de Promoção Social e Cultural de Darque e ao Centro Social e Paroquial de Deão.
Refere José Maria Costa no ofício enviado ao ministro da tutela que “várias instituições do concelho como o Centro Social e Paroquial da Areosa, o Centro Social e Cultural de Carreço, o Centro Paroquial e Social de Lanheses e o Centro Social e Paroquial de Vila Nova de Anha debatem-se com graves dificuldades financeiras porque as valências de lar que estão em fase de conclusão de obra ou já concluídas ainda não têm financiamento”.
O autarca aponta também a situação da Associação de Paralisia Cerebral de Viana do Castelo (APCVC) e da Fundação AMA Autismo, que “aguardam há 3 anos pelo financiamento que lhes permita construir as suas infraestruturas de apoio”. Explica que o município “já providenciou e cedeu o terreno para o efeito, sendo urgente o enquadramento de programa de apoio que financie a construção destas valências que darão uma resposta social muito mais eficaz no concelho”.
Nas áreas do apoio à infância e à família, a autarquia lembra a comparticipação financeira para concluir as obras da Casa dos rapazes, a nova casa abrigo do Gabinete de Atendimento à Família e ainda o fim da medida Empresas de Inserção ao nível nacional, “que põe em causa a continuidade das empresas criadas com este apoio do IEFP e que permitia a inserção de utentes no mercado de trabalho”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts