FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 02 Abr 2015

Dois anos depois, terminou campanha de estacionamento gratuito na cidade de Viana

Dois anos depois, a Câmara Municipal de Viana do Castelo decidiu suspender a campanha que promovia o estacionamento gratuito em parques da cidade, durante a […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Dois anos depois, a Câmara Municipal de Viana do Castelo decidiu suspender a campanha que promovia o estacionamento gratuito em parques da cidade, durante a noite e ao fim-de-semana. O presidente da Câmara de Viana do Castelo revelou o fim da campanha de estacionamento que era promovida deste 2013 em parques concessionados da cidade, para dinamizar o comércio tradicional.
O autarca explicou que esta campanha de estacionamento gratuita foi um “incentivo em períodos mais difíceis de dinamização económica, como são os períodos de outono e inverno em que as condições climatéricas são mais agressivas para que as pessoas se possam deslocar”. Por isso, “a partir deste momento, as condições climatéricas são diferentes, estamos num período também de maior atividade do ponto de vista cultural da cidade, e entendemos que era altura de terminar com este incentivo”.
O último prolongamento da campanha de estacionamento foi entre 1 de janeiro e 31 de março e representou um investimento de quase 50 mil euros. No total estiveram disponíveis ao longo destes três meses cerca de 1.200 lugares de estacionamento gratuito em dois parques situados no centro histórico da cidade.
José Maria Costa não exclui a possibilidade de reativar esse incentivo, se houver necessidade. “Deixamos sempre essa hipótese. Nós estamos sempre atentos à evolução económica”, assumiu.
O responsável disse já estar a trabalhar com a Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC) um outro incentivo, para oferta de uma hora de estacionamento para quem consumir no comércio tradicional, mas ainda não está nada definido.
Iniciadas em maio de 2013, estas campanhas de estacionamento gratuito foram justificadas pela autarquia com a necessidade de “dinamizar o comércio tradicional” e foram lançadas “depois de terem sido auscultadas as entidades e os empresários locais”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts