FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 06 Abr 2015

Já começou a dragagem da Doca de Pesca de Esposende

Numa iniciativa do Município e satisfazendo uma reivindicação antiga da comunidade piscatória de Esposende, já começaram os trabalhos de dragagem da Doca de Pesca. A […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Numa iniciativa do Município e satisfazendo uma reivindicação antiga da comunidade piscatória de Esposende, já começaram os trabalhos de dragagem da Doca de Pesca. A draga que está a proceder à intervenção, pertencente a uma empresa holandesa, chegou a Esposende, tendo começado logo a operar. Os trabalhos, que serão executados através de um sistema inovador, deverão estar concluídos no prazo de duas semanas .Ultrapassando, uma vez mais, as suas competências, dado que não é a entidade responsável por aquele espaço, a Câmara Municipal resolveu assumir a intervenção, num investimento próximo dos 120 mil euros, atendendo a que estava em causa a subsistência dos pescadores locais. Com efeito, o assoreamento da Doca de Pesca inviabilizava a saída das embarcações para a faina, impedindo os pescadores de saírem em busca do seu ganha-pão. Sensível aos argumentos dos pescadores, a Autarquia desenvolveu, ao longo de vários anos, diligências com vista à resolução do problema, tendo decidido assumir o encargo da intervenção, depois de obter o aval das várias entidades responsáveis. O Município vai, assim, dar resposta a uma situação que vinha a arrastar-se ao longo do tempo, sem que qualquer uma das instituições com jurisdição na zona ribeirinha tenha dado solução ao problema. O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, sublinha que “mesmo não sendo da sua competência, o Município assume os encargos da dragagem, o que representa um investimento financeiro assinalável, atendendo a que estava em causa a subsistência económica da comunidade piscatória”. O Autarca salienta, ainda, o empenho e a determinação que o Município colocou na resolução deste problema, que se traduziu num processo de negociações difícil. O Município está, entretanto, a avaliar com as entidades oficiais, nomeadamente com a Doca de Pesca e o IPTM (Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos), a possibilidade de alargar o âmbito desta intervenção a outros espaços da Zona Ribeirinha de Esposende, nomeadamente através da requalificação das infraestruturas existentes, no sentido de rentabilizar e colocar ao serviço da população estes equipamentos. Neste sentido, o Presidente Benjamim Pereira tem já agendada uma reunião com o Secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts