FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 27 Abr 2015

Monção: Executivo diminuiu dívida de curto prazo para metade em apenas um ano

A Assembleia Municipal de Monção, reunida no passado sábado, no Cine Teatro João Verde, aprovou, por maioria, com 16 abstenções, a conta de gerência de […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A Assembleia Municipal de Monção, reunida no passado sábado, no Cine Teatro João Verde, aprovou, por maioria, com 16 abstenções, a conta de gerência de 2014. O documento, que apresenta uma taxa de execução de 88,21%, havia sido aprovado pelo executivo municipal, também por maioria, há duas semanas.
Segundo o executivo monçanense, o documento apresenta uma taxa de execução de 88,21 % com diminuição da dívida de curto prazo (- 52,83%) e médio/longo prazo (- 12,81%). Como resultado da redução gradual dos valores de amortizações e juros e do quadro de pessoal (300 funcionários em 2010 e 257 em 2014), verifica-se uma diminuição global da despesa do município que, entre 2010 e 2014, atingiu 25,18 %. O prazo de pagamento a fornecedores situa-se em 60 dias.
A divida de curto prazo diminuiu para mais de metade entre 2013 e 2014. Se em 2013 a dívida era de 1,963 milhões de euros, em 2014 passou a 926 mil euros, o que corresponde a uma diminuição de mais de 52%.
A médio/longo prazo verificou-se uma redução da dívida de 12,81%, atingindo agora os 8 milhões de euros. Esta situação acentua a curva descendente iniciada em 2006 e garante a redução do valor de amortizações e juros a pagar anualmente à banca, sendo que o prazo de pagamento a fornecedores situa-se em 60 dias.
A despesa global do município tem vindo a decrescer de forma paulatina, verificando-se uma redução de 25,18 % no período entre 2010 e 2014.
Apesar da diminuição da rubrica “taxas, multas e outras penalidades”, fruto do arrefecimento na construção e imobiliário, a receita corrente consegue um crescimento de 19,74 %.
Os dados positivos desta conta de gerência traduzem-se ainda numa poupança corrente de mais de 2 milhões de euros, que será afeta ao investimento, e uma capacidade de endividamento com uma margem de quase 7,5 milhões, verba que poderá servir para complementar a aplicação dos fundos comunitários no novo quadro comunitário de apoio.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts