FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 08 Abr 2015

Valença pede mais policiamento e vigilância nas florestas por suspeita de mão criminosa em incêndios

A Câmara Municipal de Valença anunciou em comunicado ter reforçado as diligências junto da Brigada do Ambiente, da Guarda Nacional Republicana e demais forças policiais […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A Câmara Municipal de Valença anunciou em comunicado ter reforçado as diligências junto da Brigada do Ambiente, da Guarda Nacional Republicana e demais forças policiais para que seja aumentada a vigilância e a investigação aos fogos florestais no concelho. Por suspeita de mão criminosa em incêndios florestais, o autarca Jorge Mendes pede mais policiamento e vigilância nas florestas.
Os fogos florestais que aconteceram nas últimas semanas nas áreas florestais do concelho, nomeadamente em zonas de baldios, motivou uma “tomada de posição forte” da autarquia valenciana junto da Guarda Nacional Republicana, Policia Judiciária e demais entidades com tutela sobre as florestas. “Proteger as áreas florestais do concelho, prevenir novos focos de incêndio, apurar as causas e punir as mãos criminosas tem sido uma preocupação da autarquia valenciana”, afirma o comunicado.
“A floresta de Valença é um bem de todos os valencianos”, explica o autarca social-democrata Jorge Mendes, afirmando que “temos o dever de a proteger, valorizar e punir, com mão pesada, quem por má-fé tenta destruir um bem comum que leva décadas e muito dinheiro dos contribuintes para recuperar”. O município, recorde-se, detém uma área florestal com cerca de 6.492 hectares.
Fonte da autarquia valenciana informa que ao longo do ano a Câmara Municipal “desenvolve um conjunto de ações nas florestas do concelho, nomeadamente, limpezas de áreas de baldio, abertura de caminhos florestais, construção e manutenção de pontos de água, campanhas de sensibilização junto da comunidade, apoios aos Bombeiros Voluntários de Valença, entre outros”.
“Valença tem uma área florestal de 6492 hectares, um recurso natural e renovável, que constitui uma mais-valia ambiental, social e económico atual do concelho”, explica o comunicado da autarquia.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts