FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 19 Mai 2015

CIM Alto Minho quer território certificado pela Federação Europeia do Turismo Sustentável

Os dez municípios do Alto Minho querem pertencer a uma rede europeia de turismo sustentável. José Maria Costa, autarca de Viana do Castelo e presidente […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Os dez municípios do Alto Minho querem pertencer a uma rede europeia de turismo sustentável. José Maria Costa, autarca de Viana do Castelo e presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, explicou que Vila Nova de Cerveira recebeu, no início deste mês, o 9º Encontro Europeu da Rede de Cartas de Turismo Sustentável, que contou com a presença da Federação Europeia do Turismo Sustentável e afirmou que a CIM apresentou, na altura, um projeto para que pudesse integrar a Rede Europeia de Turismo Sustentável.
“A CIM do Alto Minho apresentou um projeto para que esta zona do Alto Minho, que tem um elevado valor ambiental, que inclui o Parque Nacional da Peneda Gerês, que é Reserva da Biosfera, e que tem também muitas zonas da rede Natura, pudesse integrar esta rede Europeia de Turismo Sustentável”, assume José Maria Costa, reconhecendo que os técnicos presentes no congresso manifestaram “grande aceitação” daquilo que era a “qualidade” da proposta da CIM. O responsável espera que, ainda este ano, a Federação Europeia do Turismo Sustentável “certifique” o Alto Minho enquanto destino amigo do ambiente.
Da parte do presidente da Federação, José Maria Costa obteve a informação de que o projeto da CIM do Alto Minho é “muito interessante e com muita qualidade”, aguardando uma resposta “positiva” ainda durante este ano. “Ainda temos a esperança de que seja este ano”, assume, dizendo que a aprovação permitiria que “o Alto Minho esteja referenciado em todos os circuitos internacionais como um espaço de turismo sustentável certificado, com condições ambientais, de monitorização, de preservação, de acompanhamento, com rotas e percursos perfeitamente definidos”. “Para nós, era muito importante”, garante o líder, dizendo que esta aprovação era uma “credenciação do turismo que tem cuidado com a natureza, que não se desenvolve ultrapassando alguns limites, que tem, de facto, cuidado e equilíbrio com os espaços naturais ”.
Até final deste ano, a CIM pode conseguir que o Alto Minho seja certificado como um espaço de Turismo Sustentável.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts