FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 12 Mai 2015

Festival Folk Celta com Júlio Pereira e Diabo na Cruz para atrair mais de 5000 pessoas a Ponte da Barca

Júlio Pereira e os Diabo na Cruz são os cabeças-de cartaz da 8ª edição do Festival Folk Celta, que acontece entre os dias 24 e […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Júlio Pereira e os Diabo na Cruz são os cabeças-de cartaz da 8ª edição do Festival Folk Celta, que acontece entre os dias 24 e 25 de julho na vila de Ponte da Barca. Com estes nomes como destaque, a organização acredita que poderá “ultrapassar a marca das 5.000 pessoas” e encher a Praça Terras da Nóbrega.
Na apresentação oficial do Festival, que aconteceu esta terça-feira, em Ponte da Barca, foi divulgado que no primeiro dia do evento sobe ao Palco Somersby, visto como o palco principal do evento, o multi-instrumentista, compositor e produtor Júlio Pereira, que acumula mais de 20 discos na sua carreira onde o cavaquinho é instrumento rei, dezenas de colaborações internacionais e perto de 80 discos produzidos em todo o mundo. Atua também o galego Anxo Lorenzo, que apresenta ao público português o mais recente álbum “Confuxion”, visto como um hino à liberdade onde os limites impostos à forma como a gaita é tocada não existem. A organização do festival diz que este é “um dos grandes gaiteiros da Galiza”. Neste mesmo dia, mas no Palco Bricelta, tocam os portuenses Karrossel, que misturam a dança e a música. A fechar a primeira noite, vão atuar um dos selecionados no concurso “Novos valores folk”, um concurso nacional de captação de novos talentos que já está a ser promovido através do Facebook oficial do festival e que revelará os vencedores no mês de junho.
No segundo dia, os açorianos Myrica Faya, que tocaram o ano passado em Ponte da Barca, regressam ao festival para abrir a noite, trazendo as suas versões muito próprias do cancioneiro popular português.Seguem-se os conceituados Mànran, que vêm da Escócia, e que juntam o galego e o inglês aos instrumentos da folk, criando uma sonoridade que resulta da fusão do acordeão, violino, flauta, percussões e baixo. O desafio de fechar o festival fica com os portugueses Diabo na Cruz, que acabam de editar o seu 3º disco de originais. Homónimo, o álbum já tem relevados dois singles “Vida de estrada” e mais recentemente “Ganhar o dia”, que tocam com frequência nas rádios.
Manuel Joaquim Pereira, diretor do festival, destacou o “selo de qualidade” que tem ajudado a fazer crescer este evento, apesar de reconhecer que este “é um nicho de mercado, não um festival de massas”. Para ajudar a custear o Festival Folk Celta, a organização recebe 35 mil euros de subsídio e ainda apoio no que toca a infraestruturas, por parte da Câmara Municipal de Ponte da Barca.
António Vassalo Abreu, autarca de Ponte da Barca, lamentou o facto de a EDP nunca ter ajudado a custear qualquer evento no concelho. “Sou presidente da Câmara de Ponte da Barca há quase dez anos e, até hoje, recebi zero da EDP”, acusou o socialista, ironizando dizendo que “só se tiver de escrever em mandarim, talvez seja mais fácil”.
Recorda que 6,5% da energia hídrica produzida no país é garantida pela Barragem do Alto do Lindoso e Touvedo , situada em Ponte da Barca, pelo que esperaria que a EDP apoiasse mais o município. “A EDP, em Ponte da Barca, só deixou nevoeiro”, afirmou, dizendo que a empresa de energia portuguesa, que tem como principal acionista os chineses da China Three Gorges, paga uma renda “barata” considerando o espaço que ocupa, no valor de 240 mil euros, por ano. “A EDP, no Parque Nacional Peneda Gerês, só deixou nevoeiro, só estragou”, acusou, recordando que 52% do território barquense faz parte desta reserva da biosfera.
Com as margens do Rio Lima e do seu afluente Vade como cenário, o Festival Folk Celta é organizado pela Câmara Municipal de Ponte da Barca e pela Associação Concelhia e contará com dois palcos a funcionar em alternativo. Quanto ao valor dos bilhetes, o preço mantém-se nos 5€ diários. Para além da música, o Festival Folk Celta de Ponte da Barca contará com uma Feira Alternativa de artesanato, workshops de dança e acampamento junto ao Rio Lima.

Mais informações disponíveis em:
www.facebook.com/folkcelta | www.folkcelta.pt

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts