FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 06 Jul 2015

Cerveira: Aquamuseu do Rio Minho celebra 10 anos com atividades para todas as idades

No próximo fim-de-semana, dias 11 e 12 de julho, o Aquamuseu do Rio Minho, localizado em Vila Nova de Cerveira, celebra uma década de existência […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

No próximo fim-de-semana, dias 11 e 12 de julho, o Aquamuseu do Rio Minho, localizado em Vila Nova de Cerveira, celebra uma década de existência com um conjunto de atividades para todas as faixas etárias. Dez anos a estudar, promover e divulgar o património natural e etnográfico da bacia hidrográfica do rio Minho, numa celebração que inclui a iniciativa  “Dormir com os peixes” e o Concerto Clássico “Marea Negra”.
Equipamento municipal de referência ibérica, o Aquamuseu do rio Minho vai estar em festa durante dois dias. Para além das visitas guiadas, dos ateliers “Pintar a Natureza” e de animação infantil, mantém-se a atividade “Dormir com os Peixes” que, ano após ano, é um sucesso ao convidar crianças entre os 7 e os 13 anos a passar uma noite junto aos aquários do Aquamuseu. Ouvir histórias, conhecer e contactar com as espécies, são algumas das sugestões que proporcionarão uma experiência única.
Outro ponto alto desta comemoração está agendado para sábado, 11 de julho, pelas 17h30, com um concerto de música a evocar a importância da preservação ambiental associado a uma envolvente natural que proporcionará um momento verdadeiramente memorável. O Círculo Portuense de Ópera e a Banda Militar do Porto apresentam, no Parque de Lazer do Castelinho, “Marea Negra” de Antón Alcalde, sinfonia n. 1 escrita para a Banda Sinfónica e que, em 2009, obteve o Primeiro prémio do Concurso Galego de Composição para Banda Sinfónica.
Inaugurado em 2005, o Aquamuseu do Rio Minho já conta com cerca de 200 mil visitantes.  O Aquamuseu possui uma área de exposição permanente, que se divide no Aquário Público do Rio, onde os visitantes simulam uma viagem ao longo do rio Minho, desde a nascente até à foz e têm a oportunidade de conhecer cerca de 60 espécies de peixes, moluscos e crustáceos da região. Por outro lado, no Museu das Pescas mantém-se viva a memória da atividade da pesca artesanal, mostrando utensílios, maquetas de barcos, documentos e artes de pesca. Para além dos peixes, os visitantes podem ainda conhecer as lontras de água doce, Eureka e Einstein, que vivem no lontrário e que deram origem à mascote do Aquamuseu.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts