FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 29 Jul 2015

Grupo anti-touradas promove em Viana debate sobre defesa dos animais este sábado

O “Grupo Anti Tourada em Viana do Castelo” quer juntar o maior número de ativistas dos animais para um debate que pretende “pensar” o bem-estar […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O “Grupo Anti Tourada em Viana do Castelo” quer juntar o maior número de ativistas dos animais para um debate que pretende “pensar” o bem-estar animal e preparar a luta contra mais uma tourada agendada para a cidade, para dia 23 de agosto. Ana Macedo, porta-voz do movimento anti-tourada, explicou à Geice que o debate sobre a defesa dos animais acontece este sábado, às 16 horas, no Auditório do Grupo Desportivo dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo.
“A ideia principal é falarmos todos”, explica, dizendo que este debate quer reunir “os contributos de toda a gente” na luta pela defesa dos animais. “Em Viana temos muitas pessoas que estão muito divididas em termos da defesa dos animais. Todos querem ajudar, mas não existe a ideia base de que os grupos se ajudem uns aos outros”, afirma.
Este debate que pretende reunir os ativistas dos animais vai também ter como destaque a luta anti-touradas, depois de o movimento “Vianenses pela Liberdade” ter assumido que pretende voltar a realizar uma tourada em Viana do Castelo, a 23 de agosto, no domingo da Romaria D’Agonia, fazendo com que as corridas tauromáquicas voltem pela quarta vez à cidade, depois de a capital da Alto Minho se ter assumido como “cidade anti-touradas”, em 2009.
“Nesta altura do ano temos o habitual teatro que tem acontecido todos os meses de agosto, desde há quatro anos. (…) É preciso parar para pensar melhor no assunto”, afirma, referindo-se à realização de mais uma tourada.
Já na passada semana Ana Macedo tinha participado numa reunião do executivo vianense para “oferecer ajuda” ao Presidente da Câmara Municipal na “luta contra as touradas”.“Nós temos feito sempre esta oferta, via correio eletrónico, mas assim é mais público”, explicou, dizendo que nas redes sociais o grupo anti-touradas junta mais de 3.000 pessoas.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts