FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 23 Jul 2015

Parque Campo D’Agonia abre a 1 de agosto: Primeira hora de estacionamento gratuita e preços low-cost

O maior parque de estacionamento da cidade de Viana do Castelo reabre no dia 1 de agosto com preços low-cost. Depois de ter tomado posse […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O maior parque de estacionamento da cidade de Viana do Castelo reabre no dia 1 de agosto com preços low-cost. Depois de ter tomado posse da estrutura, após um acordo amigável com o concessionário, a Câmara Municipal resolveu tornar o Parque de Estacionamento do Campo D’Agonia numa estrutura com “preços acessíveis”, sendo que a primeira hora de estacionamento será gratuita e as restantes horas custarão 40 cêntimos, pois cada parcela de quinze minutos corresponderá a 10 cêntimos de pagamento.
 O novo tarifário para o parque de estacionamento foi aprovado esta quinta-feira em reunião de executivo, pela maioria PS e pela CDU, contando com a abstenção dos dois vereadores PSD.
O parque de estacionamento, com 1.080 lugares disponíveis, vai ter também tarifas reduzidas para as avenças, que vão ser feitas em três modalidades. Os residentes de quase toda a freguesia de Monserrate poderão garantir uma avença mensal, para 24 horas, 7 dias por semana, por 15 euros mensais. Os não-residentes no centro histórico terão acesso à mesma avença, mas por 20 euros mensais. Existe ainda uma terceira opção, para meia avença, 12 horas noturnas ou diurnas, por um custo de 15 euros por mês. A autarquia admite ainda reduções de preço, para avenças integradas em agregados familiares, que beneficiarão de uma redução de 10% por avença, até um máximo de 3. Para frotas automóveis de empresas, a redução será de 10% por cada grupo de cinco viaturas.
José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, acredita que este é um parque “importante” para a dinâmica da cidade e acredita que esta é uma “proposta equilibrada” para ajudar os vianenses e visitantes. Também Luís Nobre, vereador responsável pelo pelouro, afirma que estes são preços “acessíveis” e garante que “mais baixo que isto, só mesmo gratuito”.
O autarca acredita que estas tarifas vão “privilegiar os residentes no centro histórico e os trabalhadores”, afirmando que a primeira hora gratuita é um atrativo para que mais pessoas possam visitar a cidade para serviços e compras.
Eduardo Teixeira, porta-voz dos vereadores do PSD, optou pela abstenção por considerar que a reabertura do parque nestes moldes é “mais algo que vai custar imenso ao município”. Apesar de “louvar a questão da primeira hora gratuita”, considera que os parques low-cost, embora a baixo preço, também “pressupõem um lucro, nunca o prejuízo” e questionou o autarca sobre os custos desta estrutura.
José Maria Costa assumiu que o Parque de Estacionamento do Campo D’Agonia terá despesas correntes na ordem dos 13 mil euros/ mês que, “no pior dos cenários, poderão ser cobertas por uma ocupação média entre os 37 e os 40%”. “Numa previsão mais otimista, na ordem dos 60%, será possível cobrir as despesas correntes e fazer alguma receita para investimento”, defendeu.
Ilda Figueiredo, da CDU, votou a favor deste tarifário, por considerar que “este processo é alguma inversão no caminho de privatização do estacionamento” que tem sido desenvolvido nos últimos anos. Apesar do voto favorável, a vereadora diz que é “urgente” um estudo global sobre o estacionamento público pago na cidade e considera que é necessário criar descontos para todos os moradores no centro histórico, para que todos tenham acesso às condições que os utentes do Parque do Campo D’Agonia vão agora ter.
A partir de 1 de agosto, o Parque de Estacionamento do Campo D’Agonia, o maior parque subterrâneo da cidade, terá 1.080 lugares disponíveis a preços baixos.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts