FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 09 Jul 2015

Viana: Apoio excecional à APPACDM aprovado mas com críticas por parte do PSD

Em reunião do executivo de Viana do Castelo foi aprovado, esta quinta-feira, por unanimidade, um apoio excecional ao funcionamento do Centro de Atividades Ocupacionais 2 […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Em reunião do executivo de Viana do Castelo foi aprovado, esta quinta-feira, por unanimidade, um apoio excecional ao funcionamento do Centro de Atividades Ocupacionais 2 (CAO) da APPACDM, situado no Cabedelo, mas o ponto foi motivo de discussão entre os vereadores dos três partidos representados.
Recorde-se que o segundo CAO da APPACDM situado na zona do Cabedelo vai funcionar, durante três meses, com “os custos de funcionamento suportados pela Câmara local”, apoiando assim um total de 14 utentes. O segundo CAO tinha fechado as portas a 30 de junho por continuar a não receber qualquer apoio financeiro por parte da Segurança Social, num total de 3.500 euros de custos mensais que estavam a ser suportados, na totalidade, pela APPACDM. Agora, a autarquia vianense aprovou um apoio de 10 mil euros para suportar estes custos até setembro, mês em que a Segurança Social terá “prometido” uma resposta.
Ilda Figueiredo, da CDU, começou por dizer que, apesar de concordar com este apoio, “é preciso insistir com o Governo na solução urgente deste problema” porque “a Câmara não pode estar permanentemente a substituir a Segurança Social”.
Já Eduardo Teixeira, porta-voz dos três vereadores PSD, reconheceu a “situação dramática, do ponto de vista financeiro”, que a associação atravessa, recordando que a mesma “deriva de há muito anos atrás”. No entanto, criticou o apoio camarário, proposto pelo PS, dizendo que “o que me preocupa é que o senhor presidente tenha assinado esta proposta e fale em promessas”.
“Se há área em que este Governo tem atuado, é na deficiência. O que a Câmara de Viana está a fazer é a dar um subsídio por três meses, é só isto”, afirmou. “A Câmara quer fazer show-off e dizer que salvou o CAO com 10 mil euros”, acusou ainda.
Vítor Lemos, presidente em funções, respondeu ao PSD dizendo que “o seu amigo, que o senhor tem na Segurança Social de Viana [Paulo Órfão, presidente do Centro Distrital da Segurança Social], disse que não tinha dinheiro e que era para fechar”. “Enquanto você está a fazer juízos de valor, eu estou a acreditar naquilo que as pessoas prometem”, recordando que Paulo Órfão prometeu aos pais dos 14 utentes do CAO, há alguns dias, que terá uma resposta da Segurança Social até setembro.
Ilda Figueiredo rematou a discussão dizendo que “devem fazer-se todas as exigências necessárias ao Governo para que, no mais breve espaço de tempo, se possa garantir o funcionamento deste Centro de Atividades Ocupacionais”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts