FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 26 Ago 2015

A festa que não tem cartaz nem programa: Milhares preparam-se para rumar a S. João D’Arga

Faça chuva ou faça sol todos os anos são milhares os que sobem a serra para participar na Romaria que nem sequer cartaz tem. Na […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Faça chuva ou faça sol todos os anos são milhares os que sobem a serra para participar na Romaria que nem sequer cartaz tem. Na noite de 28 para 29 de Agosto, todos os caminhos vão dar à Serra D’Arga, com milhares de romeiros a participar numa das festas mais genuínas do país, onde o sagrado e o profano convivem perfeitamente num misticismo difícil de explicar, como refere o Padre Paulo Emanuel. O santuário é para e de todos e isto se nota nas procissões; os que servem ao pálio ou às lanternas, muitas vezes, se desconhecem uns aos outros, nem sabem de que terra são. Não há programa, não há cartazes…O S. João d’Arga celebra-se no dia da degolação de S. João Baptista: a 29 de Agosto. É no dia 28 e na noite de 28 para 29 de Agosto que lá vão os devotos de S. João Baptista. De entre o Rio Neiva e o Rio Minho, parece não escapar ninguém de fazer uma promessa ao Santinho, com a obrigação de lá ir cumpri-la; ou são os “ cravos “, quistos, coisas estranhas ou tumores, por isto ou por aquilo lá chegam para cumprir devotamente a promessa e divertirem-se toda a noite à volta das filarmónicas, das concertinas, dos cantadores ao desafio, das músicas, etc, dentro do próprio adro. Dizem os mais velhos que, antigamente, a iluminação era à base de velas, azeite e archotes e que os romeiros, ao chegarem ao adro, atiravam foguetes e caíam lá bailadores e tocadores de concertina sem conta. É ainda hoje o mesmo esquema, só mudaram as iluminações.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts