FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 16 Ago 2015

Município de Caminha está a levar teatro profissional a todas as freguesias do concelho

Em Caminha, no âmbito de um protocolo celebrado entre o Município e a associação cultural Krisálida, a peça de teatro “Rei Laudamuco, Senhor de Nenhures” […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Em Caminha, no âmbito de um protocolo celebrado entre o Município e a associação cultural Krisálida, a peça de teatro “Rei Laudamuco, Senhor de Nenhures” está a ser apresentada em todas as freguesias caminhenses. Na sexta-feira, dia 21 de agosto, quando o palco do Centro Cultural de Dem receber a peça de teatro, estarão cumpridas 10 das 14 exibições previstas. A diretora artística, Carla Magalhães, refere a receção “sempre positiva” que a peça tem conseguido obter, por parte do público, mesmo nas freguesias mais rurais e de montanha.
A estreia aconteceu no dia 5 de junho, no Teatro Municipal Valadares, em Caminha. A partir daí iniciou-se um circuito, em itinerância, e neste momento falta apenas levar o espetáculo a cinco freguesias.
Depois de Dem, esta sexta-feira, segue-se Venade, dia 28 deste mês. Logo no dia seguinte, atores e demais elementos deslocam-se para o sul do concelho, porque é a vez do Centro Cultural de Riba de Âncora acolher a peça de Roberto Vidal Bolaño. Um pequeno intervalo e, no início de setembro, completa-se o périplo quando, no dia 4, o espetáculo se apresentar em Vilar de Mouros, na sede do CIRV – Centro de Instrução e Recreio Vilarmourense. A última representação está agendada para Vile, dia 5, no palco do Centro Cultural da freguesia.
Recorde-se que a interpretação da peça de teatro “Rei Laudamuco, Senhor de Nenhures” está a cargo de Alexandre Martins, Jéssica Moreira e Simão Luís; a encenação de Jorge Alonso; a assistência de encenação de Jéssica Moreira, o dispositivo cénico e figurinos de Jorge Alonso e Liliana Barbosa, o desenho de luz de Rui Gonçalves, a sonoplastia de Marco Lima, a construção de cenário de Porfírio Barbosa e a produção é da responsabilidade de Carla Magalhães.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts