FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 22 Set 2015

Alto Minho recebe certificação da “Carta Europeia de Turismo Sustentável”

O Alto Minho acaba de conquistar a certificação da “Carta Europeia de Turismo Sustentável”. A candidatura à Carta Europeia de Turismo Sustentável (CETS) do Alto […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Alto Minho acaba de conquistar a certificação da “Carta Europeia de Turismo Sustentável”. A candidatura à Carta Europeia de Turismo Sustentável (CETS) do Alto Minho foi promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho), no âmbito do projeto BIOLANDSCAPE ALTO MINHO, acaba de ser aprovada, por unanimidade, pela Comissão de Avaliação da Federação Europeia de Parques Nacionais e Naturais – Federação EUROPARC.
 A Carta Europeia de Turismo Sustentável tem o intuito de promover o desenvolvimento de um turismo sustentável em áreas protegidas e classificadas. A imagem do território como um único destino turístico, a inserção numa rede europeia de destinos de excelência, uma melhor organização da oferta turística, o reconhecimento da importância da população local e dos empresários no processo de planeamento e desenvolvimento da atividade turística, uma maior satisfação dos visitantes e um maior retorno na economia local da atividade turística, a promoção da preservação dos valores naturais e culturais do território e o acesso a programas específicos de cofinanciamento, são apenas algumas das vantagens desta adesão à Carta Europeia de Turismo Sustentável.
 Submetida em fevereiro deste ano, a candidatura da CIM do Alto Minho foi analisada por um Comité de Avaliação, tendo o território sido alvo de uma visita por parte de um auditor da Federação EUROPARC, no passado mês de maio, que recomendou que fosse atribuído ao Alto Minho o certificado de Carta Europeia de Turismo Sustentável.
O envolvimento de um número significativo de atores locais, públicos e privados, ligados ao setor turístico, na elaboração da candidatura da Carta Europeia de Turismo Sustentável do Alto Minho, ao longo de aproximadamente um ano, foi fundamental para definir uma estratégia de desenvolvimento turístico sustentável e um plano de ação para cinco anos que define ações concretas para a melhoria da sustentabilidade da atividade turística deste território.
Nesta nova etapa de construção de um território sustentável, a CIM do Alto Minho tem agora de encontrar os mecanismos de financiamento comunitário que viabilizem a implementação desta estratégia e do respetivo plano de ação constituído por 71 ações devidamente enquadradas nos objetivos e princípios da Carta.
 A outorga deste certificado/galardão europeu decorrerá, no próximo mês de dezembro, no Parlamento Europeu, em Bruxelas.
 A Carta Europeia de Turismo Sustentável do Alto Minho integra o território constituído pelos concelhos de Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Monção, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira, abrangendo um conjunto de oito áreas protegidas e classificadas, designadamente, a Paisagem Protegida do Corno do Bico; a Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e de São Pedro d’Arcos; os Sítios da Rede Natura 2000 do Litoral Norte, dos rios Minho e Lima, da Serra de Arga e do Corno do Bico; e a Zona de Proteção Especial da Rede Natura 2000 Estuários dos Rios Minho e Coura. No Alto Minho, os municípios de Arcos de Valdevez, Melgaço e Ponte da Barca já possuem o galardão CETS desde 2002, através da candidatura do Parque Nacional da Peneda Gerês – PNPG, que foi coordenada pela ADERE-PG e que foi já objeto de renovação.
 O Alto Minho passa, assim, a ser a primeira NUTS III do Continente com todo o território certificado no âmbito da Carta Europeia do Turismo Sustentável.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts