FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 15 Set 2015

Instituto Politécnico de Viana do Castelo disponível para receber “bastantes” alunos refugiados

Apesar das “extremas dificuldades” financeiras que tem atravessado nos últimos anos, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) está disponível para receber “bastantes” alunos […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Apesar das “extremas dificuldades” financeiras que tem atravessado nos últimos anos, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) está disponível para receber “bastantes” alunos refugiados, num “ato de cidadania ao qual ninguém pode virar as costas”. A posição foi revelada à Geice pelo presidente do IPVC, Rui Teixeira, assumindo ainda que poderá receber “dezenas” de alunos mas dizendo que o número de vagas vai depender do volume de candidatos e do nível de formação pretendido.
 “Os problemas da Europa são problemas de cada um dos países e, dentro de cada país, só pode ser concebido dentro do ponto de vista da responsabilidade social”, assumiu, dizendo que cada país “tem de arranjar forma de dar resposta aos refugiados que chegam e que estejam em condições de prosseguir os seus estudos no ensino superior”.
“Estou convicto que a maioria dos Institutos Politécnicos e a maior parte das universidades têm de arranjar forma de dar resposta aos refugiados que cheguem a Portugal e que estejam em condições de seguir os estudos”, considerou.
Ainda é cedo para avançar com um possível número de estudantes refugiados, segundo Rui Teixeira, dizendo que “o número pode ser perfeitamente variável conforme o número de candidatos, a que nível e a que tipo de cursos se candidatam”.
“Só depois de conhecermos rigorosamente o volume e o tipo de candidatos é que podemos avançar com um número”, explicou, mas já assumindo que “dezenas” de refugiados poderão optar por estudar no Instituto Politécnico de Viana do Castelo. Rui Teixeira diz que além da inserção académica, pretende lutar pela inserção social dos futuros estudantes.
 A disponibilidade do Politécnico vianense foi manifestada “há mais de um mês” junto de várias organizações ligadas a este processo, estando Rui Teixeira a aguardar orientações do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP).

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts